Escolha as suas informações

Polícia apreende míssil e armas automáticas a neonazis italianos
Mundo 17.07.2019

Polícia apreende míssil e armas automáticas a neonazis italianos

Polícia apreende míssil e armas automáticas a neonazis italianos

Foto: AFP
Mundo 17.07.2019

Polícia apreende míssil e armas automáticas a neonazis italianos

Bruno AMARAL DE CARVALHO
Bruno AMARAL DE CARVALHO
Durante a operação, foram detidos três militantes de extrema-direita que para além do míssil, semelhante aos usados pelo Qatar, tinham na sua posse 26 armas automáticas e propaganda nazi.

A polícia italiana encontrou, na segunda-feira, um autêntico arsenal de guerra nas mãos de um grupo de militantes de extrema-direita no norte de Itália. Durante a operação anti-terrorista dirigida contra elementos “de ideologia extremista” que têm ligações a organizações paramilitares ucranianas foram encontradas armas pesadas e um míssil ar-ar. 

As autoridades italianas informaram que a operação foi realizada no âmbito de uma investigação realizada pelo Ministério Público de Turim, no noroeste de Itália. O míssil estava em bom estado e é semelhante aos usados pelo exército do Qatar, afirmou a polícia através de um comunicado. O míssil é de fabricação francesa, modelo Matra Super 530F, com uma longitude de 3,54 metros. De acordo com um especialista em armamento deste tipo, trata-se de uma versão moderna do modelo R530, em serviço desde 1980, com um alcance de 25 quilómetros. Contudo, o lançamento a partir do solo, e não de um avião como está previsto pelo fabricante, seria “extremamente complexo”, explicou ao El País. 

As autoridades encontraram ainda 26 armas automáticas de última geração, 20 baionetas, 306 peças de armas, incluindo silenciadores e 800 balas de vários calibres. Estas armas eram provenientes da Alemanha, Áustria e Estados Unidos.

Durante a operação foram detidas três pessoas. Um deles, Fabio Del Bergiolo, 50 anos, ex-inspector da alfândega, líder de uma claque da Juventus, também militante do partido de extrema-direita italiana Forza Nuova, que promoveu campanhas contra o casamento de pessoas do mesmo sexo e a imigração, foi também candidato ao Senado em 2001. Segundo o Corriere, escondia armas debaixo da cama, na casa onde vivia com a sua mãe, e está ligado a outro detido, Alessandro Monti, suíço, proprietário do hangar onde foi encontrado o míssil. Fabio Bernardi é outro dos detidos e estaria ligado ao suíço na tentativa de venda do míssil.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.