Escolha as suas informações

Pentágono afirma que Trump ordenou a morte de general iraniano
Mundo 03.01.2020 Do nosso arquivo online

Pentágono afirma que Trump ordenou a morte de general iraniano

Pentágono afirma que Trump ordenou a morte de general iraniano

Foto: AFP
Mundo 03.01.2020 Do nosso arquivo online

Pentágono afirma que Trump ordenou a morte de general iraniano

Após a morte de Qassem Soleimani, Trump publicou no Twitter uma imagem da bandeira norte-americana, sem qualquer comentário.

O Presidente dos Estados Unidos ordenou a morte do comandante da força de elite iraniana Al-Quds general Qassem Soleimani, anunciou na quinta-feira o Pentágono.

"Por ordem do Presidente, as forças armadas dos Estados Unidos tomou medidas defensivas decisivas para proteger o pessoal norte-americano no estrangeiro, matando Qassem Soleimani", disse o Departamento de Defesa norte-americano, em comunicado divulgado na quinta-feira à noite (hora local).

Qassem Soleimani foi morto hoje num ataque aéreo ao aeroporto de Bagdad que também visou o 'número dois' da coligação de grupos paramilitares pró-iranianos no Iraque, Abu Mehdi al-Muhandis, conhecida como Mobilização Popular [Hachd al-Chaabi].

As duas mortes já tinham sido confirmadas pelas televisões estatais do Iraque e do Irão.

Após a morte de Soleimani, Trump publicou no Twitter uma imagem da bandeira dos EUA
Após a morte de Soleimani, Trump publicou no Twitter uma imagem da bandeira dos EUA
Imagem: AFP

No comunicado, o Pentágono disse que Soleimani estava "ativamente a desenvolver planos para atacar diplomatas e membros de serviço norte-americanos no Iraque e em toda a região".

O Departamento de Defesa também acusou Soleimani de aprovar o assalto inédito à embaixada dos Estados Unidos em Bagdad no início desta semana.

O ataque ao general iraniano "tinha como objectivo dissuadir futuros planos de ataque iranianos", acrescentou.

Numa aparente reação, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publicou uma imagem da bandeira norte-americana na rede social Twitter, sem qualquer comentário.

Lusa


Notícias relacionadas

A sua morte “duplicou a determinação da nação iraniana e de outras nações livres da região de enfrentar a intimidação da América e de defender os valores islâmicos”, referiu o Presidente iraniano Hassan Rohani.
Protesters shout slogans against the United States and Israel as they hold posters with the image of top Iranian commander Qasem Soleimani, who was killed in a US airstrike in Iraq, and Iranian President Hassan Rouhani during a demonstration in the Kashmiri town of Magam on January 3, 2020. - Hundreds of people in Indian Kashmir staged "anti-American" demonstrations in the troubled territory on January 3 within hours of US forces killing a top Iranian commander. (Photo by Tauseef MUSTAFA / AFP)