Escolha as suas informações

Pelo menos 20 mortos e dezenas desaparecidos após inundações na Alemanha
Mundo 6 4 min. 15.07.2021
Alemanha

Pelo menos 20 mortos e dezenas desaparecidos após inundações na Alemanha

Bombeiros de pé no tejadilho do seu veículo sobem para uma casa inundada no bairro de Ehrang em Trier, no oeste da Alemanha.
Alemanha

Pelo menos 20 mortos e dezenas desaparecidos após inundações na Alemanha

Bombeiros de pé no tejadilho do seu veículo sobem para uma casa inundada no bairro de Ehrang em Trier, no oeste da Alemanha.
Foto: AFP
Mundo 6 4 min. 15.07.2021
Alemanha

Pelo menos 20 mortos e dezenas desaparecidos após inundações na Alemanha

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
Helicópteros de vários estados estão a resgatar pessoas encalhadas no topo de edifícios.

Segundo a última atualização das autoridades alemãs, pelo menos 20 pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha Ocidental, resultado das cheias e sequentes inundações. 

Segundo o jornal DW, a maioria das mortes foram relatadas nos estados da Renânia do Norte-Vestefália e Renânia-Palatinado. Quatro pessoas morreram e 70 estavam desaparecidas na região vinícola de Ahrweiler, no estado ocidental de Renânia-Palatinado, disse a polícia, após o rio Ahr que corre para o rio Reno ultrapassar as suas margens e derrubar meia dúzia de casas. 

Várias também desapareceram após o colapso de seis casas no mesmo estado, após horas de chuva torrencial, noticiou o mesmo jornal. Cerca de mais 25 edifícios na região de Schuld corriam o risco de desmoronar, informou a polícia local. "Temos atualmente um número pouco claro de pessoas nos telhados que precisam de ser resgatadas", disse um porta-voz da polícia da cidade de Coblença.

Até agora, relatórios sugerem que cerca de 50 pessoas ficaram presas nos telhados para escapar à inundação. "Há muitos locais onde foram destacados bombeiros e trabalhadores de salvamento. Ainda não temos uma imagem muito precisa porque as medidas de salvamento continuam", disse o porta-voz.


Luxemburgo apoia operações de busca e salvamento na Alemanha
Helicóptero da Luxembourg Air Rescue foi disponibilizado para ajudar nas zonas alemãs mais afetadas pelas fortes tempestades e inundações desta quarta-feira. Pelo menos 20 pessoas já morreram, no país vizinho, e dezenas estão desaparecidas.

"O sentimento é esmagador e extremamente triste. As pessoas estão muito chocadas, perturbadas e também exaustas", partilhou a repórter da DW Kate Martyr, que visitou a aldeia de Walporzheim, na região gravemente atingida de Ahr. "Há aqui um caos. Há lama por todo o lado, há polícia, há equipas de salvamento". "É uma situação de emergência muito alta aqui, que ninguém estava realmente à espera", acrescentou.

Entre os nove mortes já confirmados estão dois bombeiros, da região da Renânia do Norte-Vestefália, que morreram afogados numa cave inundada quando respondiam a uma ocorrência. Dois homens, com 77 e 82 anos de idade, morreram quando as suas caves foram inundadas nas cidades de Kamen e Wuppertal, informou a polícia.

Nesta região, a mais populosa da Alemanha, 135.000 casas estão sem eletricidade. Devido à falta de energia elétrica, as autoridades começaram a retirar os quase 500 pacientes da clínica de Leverkusen. 

Centenas de bombeiros têm estado a rabalhar, esta quinta-feira, para resgatar residentes de várias comunidades afetadas, temendo-se que o número de vítimas possa aumentar ao longo do dia. 

A Alemanha Ocidental tem sido atingida por chuvas torrenciais que têm feito subir o caudal dos rios, arrancado árvores, alagado estradas e inundado casas.

Intervenção militar 

O distrito de Vulkaneifel, na Renânia-Palatinado, foi obrigado a declarar o estado de emergência, uma vez que várias áreas não eram acessíveis devido à chuva torrencial. "A situação é muito grave, temos muitas estradas e aldeias inundadas que já não são acessíveis", disse a Administradora Distrital Julia Gieseking da cidade de Daun no final da quarta-feira. 

Pelo menos 70 soldados foram mobilizados para este estado, com grandes veículos polivalentes capazes de atravessar águas altas para chegar a aldeias inundadas. Quatro helicópteros de salvamento e transporte foram também destacados. 

O exército alemão enviou ainda 230 soldados e maquinaria pesada para ajudar a limpar as ruas afetadas pelas cheias na Renânia do Norte-Vestefália, que viu algumas das piores chuvas torrenciais, disse um porta-voz do Ministério da Defesa em Berlim. 

O Luxemburgo está a apoiar a Alemanha nas operações no terreno. A Luxembourg Air Rescue (LAR) disponibilizou um helicóptero para ajudar nos voos de busca e salvamento.  "Devido às fortes tempestades de ontem à noite, o LAR (...) através do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo ofereceu a sua assistência transfronteiriça imediatamente", refere o comunicado enviado às redações.

Alterações Climáticas

A líder dos Verdes no Bundestag, Katrin Göring-Eckardt, afirma que estes são "os efeitos da catástrofe climática" e que as tempestades são um "apelo ao realismo". "Já chegou aqui, já está aqui connosco", afirmou à RTL, apelando a uma "mudança urgente". 

O Luxemburgo e a Bélgica, vizinhos das regiões alemãs mais afetadas, estão a ser igualmente atingidos pelo mau tempo. 

 O Luxemburgo acionou a célula de crise, na sequência das fortes chuvas que se têm feito sentir e que deixaram muitas casas inundadas, em todo o país, e que "já não são habitáveis", tendo os seus habitantes sido evacuados, de acordo com as autoridades. 

Também a Bélgica tem vindo a sofrer, há vários dias, com fortes chuvas que fizeram com que o caudal de muitos rios galgasse as margens, provocando cheias e inundações na região francófona da Valónia.

As províncias de Liège e Namur foram particularmente atingidas, com a estância balnear de Spa a ficar completamente submersa. 

 Na cidade de Chaudfontaine, o diário Le Soir relatou que cerca de 1.800 pessoas tiveram de ser retiradas. "Poucas vezes temos tido inundações tão intensas. É preciso recuar a 1998 para ter uma experiência assim", disse o presidente da câmara de Chaudefontaine, Daniel Bacquelaine, à RTL. 

 A rede ferroviária Infrabel anunciou entretanto a suspensão do tráfego na metade sul do país, esta quinta-feira.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas