Escolha as suas informações

Parlamento Europeu aprova empréstimo de 18 mil milhões de euros a Kiev
Mundo 24.11.2022
Guerra na Ucrânia

Parlamento Europeu aprova empréstimo de 18 mil milhões de euros a Kiev

Guerra na Ucrânia

Parlamento Europeu aprova empréstimo de 18 mil milhões de euros a Kiev

AFP
Mundo 24.11.2022
Guerra na Ucrânia

Parlamento Europeu aprova empréstimo de 18 mil milhões de euros a Kiev

Lusa
Lusa
Para beneficiar do empréstimo, entregue em prestações trimestrais, a Ucrânia terá de realizar reformas para reforçar as instituições do país e “prepará-lo tanto para a reconstrução como para o seu caminho rumo à adesão à UE”.

O Parlamento Europeu (PE) aprovou um empréstimo de 18 mil milhões de euros à Ucrânia, condicionado a reformas exigidas a Kiev para o país aderir à União Europeia (UE).

A decisão foi aprovada com 507 votos a favor, 38 contra e 26 abstenções, no último dia da sessão plenária de novembro, realizada na cidade francesa de Estrasburgo.


Uma mulher caminha pelas ruas de Lviv, durante um apagão, esta quarta-feira
Ucrânia. Cidades europeias instadas a doar geradores de eletricidade
O apelo foi feito esta quarta-feira pela presidente do Parlamento Europeu.

A votação coincidiu com a passagem dos nove meses da guerra que a Rússia iniciou ao invadir o país vizinho, em 24 de fevereiro.

Para beneficiar do empréstimo, entregue em prestações trimestrais, a Ucrânia terá de realizar reformas para reforçar as instituições do país e “prepará-lo tanto para a reconstrução como para o seu caminho rumo à adesão à UE”.

As condições, que serão revistas pela Comissão Europeia antes de cada prestação, incluem “medidas anticorrupção, reforma judicial, respeito pelo Estado de direito, boa governação e modernização das instituições”, segundo os termos da decisão.

O PE aprovou uma resolução em 23 de junho, em que pedia a atribuição à Ucrânia do estatuto de país candidato à UE, aprovado na mesma altura pelo Conselho Europeu.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu a adesão da Ucrânia à UE em 28 de fevereiro, quatro dias depois da invasão russa.


Moscovo já distribuiu 80.000 passaportes russos desde anexação ilegal
Já antes do início da guerra, tinham sido atribuídas centenas de milhares de passaportes nas zonas separatistas do leste da Ucrânia.

O empréstimo concedido à Ucrânia vai cobrir cerca de metade do financiamento mensal de 3.000 a 4.000 milhões de euros de que o país necessita em 2023.

De acordo com a proposta da Comissão Europeia, a verba destina-se a apoiar serviços públicos essenciais, tais como a gestão de hospitais, escolas e o fornecimento de alojamento a pessoas deslocadas.

Será usada também para assegurar a estabilidade macroeconómica e a reparação de infraestruturas críticas destruídas pela Rússia. A verba será obtida pela UE nos mercados financeiros.

Será desembolsada em prestações com uma continuidade e previsibilidade que a Comissão Europeia considera ser “essencial para manter a Ucrânia em funcionamento durante a guerra”.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.