Escolha as suas informações

Paris. Polícia multa mais de 110 pessoas num restaurante clandestino
Mundo 10.04.2021

Paris. Polícia multa mais de 110 pessoas num restaurante clandestino

Paris. Polícia multa mais de 110 pessoas num restaurante clandestino

Foto: Préfecture de Police Paris
Mundo 10.04.2021

Paris. Polícia multa mais de 110 pessoas num restaurante clandestino

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Na capital francesa existe uma nova moda: a dos jantares de luxo organizados clandestinamente em restaurantes fechados devido à pandemia. A polémica estalou com suspeitas de ministros frequentarem esses eventos.

Mais de 110 pessoas jantavam descontraidamente num restaurante clandestino em Paris, sexta-feira à noite, sem sequer se preocuparem em falar baixo.

Foi o barulho dos convivas neste repasto que originou uma queixa à polícia que se deslocou ao local. Resultado: todos os clientes multados "por violação das regras sanitárias" e o gerente e organizador do evento levados sob custódia policial acusados de "colocarem em risco a vida de pessoas e por trabalho oculto". 

O anúncio de mais um jantar clandestino descoberto e multas passadas a quem o frequentava foi feito pela Polícia de Paris nas redes sociais esta manhã de sábado. 

Já há hora de almoço, a polícia interrompeu igualmente a refeição de 62 pessoas noutro restaurante aberto clandestinamente na comuna de Saint-Ouen, na Île-de-France, noticiou a BMFTV.

Ministros em jantares clandestinos?

Na capital francesa há uma nova moda: a de jantares de luxo clandestinos organizados em restaurantes à porta fechada, apesar da restauração estar encerrada por causa da pandemia.

A semana passada a polémica foi lançada por uma reportagem da M6 sobre estes eventos de luxo e onde um dos organizadores contou que "tinha jantado em dois ou três restaurantes clandestinos durante a semana e até se tinha cruzado com "ministros", conta o Jornal Le Figaro. 


Covid-19. PSP acaba com ‘festa ilegal’ com 67 pessoas em Vila Nova de Gaia
Quando se aperceberam da presença dos polícias no interior do espaço, os presentes tentaram escapar por uma janela ou porta que dava para uma rua lateral, mas foram apanhados pelos agentes.

Estas afirmações atribuídas ao colecionador Pierre-Jean Chalençon rapidamente se tornaram virais. Ontem, sexta-feira a Polícia de Paris deteve este colecionador e o também o chef Christophe Leroy para interrogatórios policiais em virtude das suspeitas levantadas sob a presença de ministros de Macron. Ão final do dia os dois franceses foram libertados. “Nesta fase das investigações, nada há que evidencie a participação de um governante nestes repastos", declarou o Ministério Público citado pelo Le Figaro. No entanto, o inquérito foi aberto. 

Antes de ser detido para inquérito Pierre-Jean Chalençon já tinha vindo a público dizer que as suas afirmações sobre a presença de ministros nos jantares clandestinos, tinham sido "uma brincadeira".  No entanto, um inquérito policial a estes luxuosos jantares e à presença de ministros foi aberto.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.