Escolha as suas informações

Medidas restritivas nos países europeus com mais pessoas vacinadas
Mundo 6 min. 25.11.2021
Covid-19

Medidas restritivas nos países europeus com mais pessoas vacinadas

Covid-19

Medidas restritivas nos países europeus com mais pessoas vacinadas

Foto: AFP
Mundo 6 min. 25.11.2021
Covid-19

Medidas restritivas nos países europeus com mais pessoas vacinadas

Lusa
Lusa
O aumento de casos de covid-19, mesmo nos países europeus com maiores taxas de vacinação, levou os respetivos governos a impor novamente restrições, mas, até agora, só a Áustria e a Eslováquia decidiram voltar a um confinamento.

Entre os países da União Europeia, Portugal é o que tem a segunda maior taxa de população adulta vacinada, chegando quase aos 92%, segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), e a média diária de novos casos da doença registada nos últimos sete dias ronda as 2.310 pessoas.

Este é um número bastante mais baixo do que o registado na Irlanda – país com maior taxa de vacinação entre adultos (92,8%) - e muito inferior à média registada na Alemanha, onde os novos casos diários chegam quase a 50.000 pessoas.

Ainda assim, o primeiro-ministro, António Costa, vai anunciar esta quinta-feira novas medidas para combater o crescimento da pandemia no país e, se seguir a opinião dos partidos políticos consultados, deverá optar por um regresso ao teletrabalho em vez do confinamento e obrigar à apresentação do certificado digital em simultâneo com um teste à covid para aceder a alguns espaços, como bares e grandes eventos desportivos.


Portugal quer travar contágios após Natal. Adiar regresso às aulas e teletrabalho em cima da mesa
O país quer evitar repetir a vaga mais mortífera da pandemia, que ocorreu em janeiro e fevereiro de 2020.

 Irlanda

Na Irlanda, onde a média de novos casos ronda os 4.400 por dia, o Governo decidiu, na semana passada, reativar o recolher obrigatório para a hotelaria, determinando que bares, discotecas e restaurantes têm de encerrar à meia-noite.

O Governo, liderado por Micheál Martin, também decidiu impor o teletrabalho nos casos em que seja possível e obrigar à apresentação de certificados de vacinação nos teatros e cinemas, apelando ainda à população para “limitar os contactos e a interação social”.

Dinamarca 

O terceiro país com maior taxa de população adulta vacinada é a Dinamarca, onde a percentagem ultrapassa os 88%.

Com uma média de novos casos diários nos últimos sete dias a atingir as 3.900 pessoas, a primeira-ministra, Mette Frederiksen, decidiu reimpor a obrigação de apresentação do certificado de vacinação para entrar nos bares, restaurantes e discotecas.

A medida foi recomendada pela Comissão das Epidemias, que apelou ainda ao Governo para classificar a covid-19 como uma “doença ameaçadora para a sociedade”.

Bélgica 

Com quase 87% da população adulta já vacinada, a Bélgica faz parte dos cinco países da Europa com mais pessoas imunizadas, mas o número médio de novos infetados rondou, na última semana, as 13.800 pessoas.

Com este valor, o país faz também parte da lista dos cinco países europeus com maior número de novos casos de covid-19 por dia.

O Governo da Bélgica, liderado por Alexander De Croo, decidiu obrigar ao uso de máscara facial em todos os locais públicos e prolongar o teletrabalho obrigatório quatro dias por semana.

 Espanha 

Quase 85% da população adulta espanhola está vacinada, mas o país também continua a ver o número de doentes com covid-19 a aumentar a cada dia.

Nos últimos sete dias, as autoridades de saúde espanholas contabilizaram, em média, mais de 6.000 casos de infeções diárias, o que levou o Governo de Pedro Sánchez a decidir preparar novas medidas de contenção e atualizar os níveis de risco.

Entre as novas restrições deverão estar limitações ao número de pessoas em restaurantes e locais de diversão, assim como nos casamentos.

As autoridades espanholas deverão alterar os critérios de avaliação do risco, elevando o limite mínimo e adotando um “semáforo Covid”, ou seja, um documento com novas restrições para cada nível de alerta.


Bruxelas quer vacinados sem restrições e não vacinados testados em viagens na UE
Dados do ECDC revelam que, até ao momento, 65,8% da população da UE está totalmente vacinada, enquanto 70,1% tomou apenas a primeira dose.

 Itália

Com mais de 82% dos adultos italianos já vacinados, a Itália contabiliza, na média da última semana, quase 10.000 novos casos de pessoas infetadas com covid-19 a cada dia.

Face a esta nova vaga da pandemia, o Governo de Mário Draghi decidiu reforçar a utilização do certificado sanitário durante a época natalícia, excluindo os não vacinados de atividades de lazer.

Por isso, entre 06 de dezembro e 15 de janeiro, o certificado sanitário só será concedido a vacinados e recuperados da doença, sendo que, em Itália, a apresentação deste documento é obrigatória para participar em atividades como concertos, discotecas ou eventos desportivos

Além disso, o Governo passou a impor vacinação obrigatória aos elementos das forças policiais, profissionais de saúde e professores.

França

Apesar da taxa de vacinação entre a população adulta francesa também estar acima dos 80%, o país está a viver uma nova vaga da doença, com características que levam as autoridades sanitárias a falar em “aumento relâmpago” dos contágios.

Nos últimos sete dias, a França registou em média mais de 20.000 novos casos diários e, por isso, o Governo alargar o reforço da vacina contra a covid-19 aos maiores de 18 anos. O soro deve ser administrado cinco meses após a vacinação completa.

 Alemanha 

A Alemanha é, entre os países europeus com mais pessoas vacinadas, o que apresenta mais casos diários de novos infetados com covid-19.

Com uma taxa de vacinação de 80% da população adulta, o país tem registado nas últimas semanas em média 50.000 novos casos por dia e, nas últimas 24 horas, chegou a um recorde de quase 76.000 pessoas infetadas num dia.

O progresso da doença levou a chanceler em exercício, Angela Merkel, a determinar a necessidade de novas restrições, tendo pedido aos estados federados que apresentassem esta semana medidas específicas.

Os estados da Baviera e da Saxónia são os mais afetados pelo coronavírus e já tinham decidido encerrar os mercados de Natal, entre outras restrições.

Mas o Governo está também a considerar um novo confinamento e tornar obrigatória a vacina contra a covid-19.

Países Baixos 

Com uma taxa de vacinação dos adultos acima de 80%, os Países Baixos são igualmente um dos Estados europeus com mais casos diários, registando uma média de quase 22.000 pessoas a cada dia, na última semana.

No início deste mês, o Governo de Mark Rute reforçou as restrições, reintroduzindo várias medidas que já tinham sido abandonadas, como a regra do distanciamento de um metro e meio, e a obrigação de apresentar o certificado de vacinação nos museus e nas esplanadas.

Além disso, voltou a ser obrigatório o uso de máscaras em lojas e outros espaços públicos fechados e as pessoas foram aconselhadas a voltar ao teletrabalho e a evitar a utilização dos transportes públicos.

Áustria 

Na lista dos 10 países europeus com maiores taxas de vacinação, a Áustria é o único onde a taxa fica abaixo dos 80%, sendo que, ainda assim, 74,5% dos adultos já estão imunizados.

O número de novos infetados rondou uma média de 14.000 pessoas na última semana, mas o Governo austríaco foi o que impôs medidas mais rigorosas.

No início desta semana, a Áustria voltou a fechar, entrando no quarto confinamento nacional desde o início da pandemia, tendo ainda o Governo do chanceler Alexander Schallenberg determinado que a vacinação contra a covid-19 passa a ser obrigatória a partir de 1 de fevereiro.

O confinamento foi decretado por 10 dias, mas com a possibilidade de ser prolongado por mais 10 dias.

A covid-19 já provocou pelo menos 5.173.915 mortes em todo o mundo, entre mais de 258,92 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência AFP.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.370 pessoas e foram contabilizados 1.130.370 casos de infeção, de acordo com dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas