Escolha as suas informações

Os 12 trabalhos de Joe Biden
Opinião Mundo 3 min. 19.01.2021

Os 12 trabalhos de Joe Biden

Os 12 trabalhos de Joe Biden

Foto: AFP
Opinião Mundo 3 min. 19.01.2021

Os 12 trabalhos de Joe Biden

Hugo GUEDES PINTO
Hugo GUEDES PINTO
Desde sempre a lenda de Hércules foi vista no sentido metafórico, ou seja, não é tanto a história de um ser mítico com superpoderes, é mais a de um personagem sábio, corajoso e sobretudo persistente, que não fraqueja nem desiste mesmo perante a magnitude das impossíveis tarefas que tem pela frente.

Hércules teve um acesso de loucura que o levou assassinar a própria família; ao voltar à razão, horrorizado pelo que acabava de fazer, foi consultar o oráculo de Delfos, algo muito em voga na época entre os deuses que regiam os gregos. Ali, a Pitonisa avisou-o que para expiar os seus pecados teria que submeter-se às ordens do rei Euristeu. Este, para livrar-se de Hércules, enviou-o em doze missões, cada uma delas mais difícil que a anterior (matar a hidra de nove cabeças, etc.); mas ao final de uma década, o herói conseguiu concluir todos os seus trabalhos, recuperando a liberdade.

Desde sempre a lenda de Hércules foi vista no sentido metafórico, ou seja, não é tanto a história de um ser mítico com superpoderes, é mais a de um personagem sábio, corajoso e sobretudo persistente, que não fraqueja nem desiste mesmo perante a magnitude das impossíveis tarefas que tem pela frente. E essas também tinham um valor simbólico: por exemplo a corça de Cerineia representa a covardia, os pássaros do lago Estínfalo as vãs esperanças que nos confundem, o javali de Erimanto a incontinência verbal dos homens, e a limpeza dos estábulos de Áugias num só dia... ok, esta metáfora não é muito rebuscada: significa que é melhor deitar fora toda a merda acumulada, e bem rápido.

A nova administração entende que o trabalho de limpar toda a merda acumulada em quatro anos deve começar, literalmente, no primeiro dia.

Esta quarta-feira, 20 de Janeiro: da parte da manhã Joe Biden toma posse como presidente dos EUA. Da parte da tarde promulga várias ordens executivas presidenciais (instrumento que lhe permite contornar obstáculos no Congresso e Senado) com medidas urgentes para consertar os problemas causados, ou aumentados, pelo acesso de loucura colectiva que constituiu o mandato de Donald Trump. A nova administração entende que o trabalho de limpar toda a merda acumulada em quatro anos deve começar, literalmente, no primeiro dia.

Sendo cruciais para os EUA, a Europa (sempre à procura de inspiração americana) e o mundo, estes 12 trabalhos de Biden têm pouco de simbólico. Desde logo, o primeiro é reintegrar os EUA no Acordo de Paris para conter as emissões de gases planetárias, além de voltar a estabelecer os padrões ambientais e incentivos às energias renováveis que Trump desactivou em favor de mais furos à procura de petróleo. 


Biden pode cancelar oleoduto da discórdia que liga Estados Unidos ao Canadá
Obama cedeu aos protestos ambientalistas e cancelou o projeto em 2012, Trump retomou o plano e agora Joe Biden pode pôr um fim ao pipeline.

O segundo é, finalmente, confrontar a epidemia crescente (os EUA são o país do mundo com mais mortes por covid-19) depois do negacionismo do antecessor. Em seguida há consertos imediatos a fazer nas áreas devastadas por Trump: o sistema de saúde, que não cuida dos que não podem pagar; o número de pessoas sem abrigo, que não pára de crescer; a imigração, em caos desumano; o comércio, onde se vive uma guerra com a China; os impostos, que Trump baixou só para os 1% mais ricos; os direitos dos trabalhadores, esmagados; os direitos civis, sufocados por uma deriva autoritária; os direitos LGBT, idem aspas; a possibilidade para as mulheres de escolherem abortar, sob ameaça; as relações inter-raciais, que fazem vítimas diárias.


20 de janeiro. Um muro, o país dividido e potencial terrorismo na posse de Joe Biden
Grades metálicas, contraplacados de madeira, uniformes, veículos militares e armas nas mãos da Guarda Nacional multiplicam-se em Washington, que se protege contra potenciais ações terroristas na posse de Joe Biden como presidente dos EUA, na próxima quarta-feira.

Doze missões difíceis, e isto antes sequer de começar a falar na economia, cada vez mais insustentável, cada vez mais desigual. O quadro é duro. Mas apesar de tudo... 20 de Janeiro é um momento de grande alívio. Disfrutemo-lo.

(Este autor escreve de acordo com o antigo Acordo Ortográfico).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.