Opinião

Artigos de opinião, crónicas, editoriais da Redacção, e as tribunas "Na Rua da Grande Cidade" de Hugo Guedes, e "Avenida de Liberdade", de Sérgio Ferreira Borges.

EDITORIAL: A França em marcha

Emmanuel Macron toma posse no domingo como oitavo Presidente da República francesa. Será o chefe de Estado mais novo de sempre do Hexágono. Muitos veem nele a evolução e a revolução de que o país precisa. Mais

OPINIÃO: O dissidente sem medo

A partir de agora, este espírito livre é um francês, um europeu ocidental como nós. Veremos se aguentamos com a sua criatividade tão original quanto intransigente. Mais

EDITORIALA forca ou a guilhotina?

Os franceses vão ter que escolher para chefe de Estado, no domingo, entre um ultraliberal, amigo da alta finança, e uma xenófoba fascista. O resultado pode e vai afetar-nos a todos, dentro e fora da UE. Mais

OPINIÃOTempo de otimismo

​Por vezes parece que até é necessário repeti-lo: este não é um texto militante. E também não é um panfleto propagandista. Mas este é, isso sim, um artigo opinativo, que toma posições e defende opções (fundamentadas, ou pelo menos é esse o objetivo). Mais

OPINIÃOO “Tanolas”

Já está nas mãos da justiça o homem que, na madrugada que antecedeu o último Sporting-Benfica, assassinou um adepto leonino com um covarde atropelamento. Por aquilo que vou lendo e ouvindo, tem todos os ingredientes para apanhar a pena máxima, de 25 anos. Mais

EDITORIALLobos vestidos de cordeiros

Os franceses “apuraram” para a segunda volta das presidenciais um ultra-liberal amigo da alta finança e uma nacionalista demagoga da extrema-direita. E agora, o que será de França? Mais

OPINIÃOO estranho caso da esquerda desvanecente

O jornalista britânico Nick Cohen publicou há uma década um livro muito discutido (e atacado) sobre a esquerda liberal. O título “What’s Left?” continha um inteligente duplo sentido: em inglês significa “o que é a Esquerda?”, mas também “o que resta?”. Mais

OPINIÃOA esperança

O 25 de abril não é propriedade de ninguém, em particular. É a data mais importante da História contemporânea portuguesa, que pertence a todos, desde que entendam o sobressalto civilizacional que aconteceu em 1974. Mais

EDITORIALVenha o diabo e escolha

Nunca se viveu uma campanha eleitoral como esta para a eleição do Presidente da República francês. França parece estar a desbipolarizar-se para se dividir em quatro. Mais

OPINIÃONão é defeito, é feitio

Um passageiro que tinha reservado e pago o seu bilhete foi arrastado à força de um voo, ensanguentado e meio despido, perante a incredulidade dos restantes passageiros – e a internet incendiou-se. Mais

OPINIÃOCuidado Centeno

Portugal está a ser varrido por uma onda de otimismo económico que começa a gerar desconfianças entre os que já viram quase tudo na vida. Mário Centeno deve cuidar-se e desconfiar de tanto elogio. Mais

EDITORIALOs senhores da guerra

Os EUA atacaram posições do regime de Bashar al-Assad na Síria, a primeira vez desde o início da guerra civil naquele país em 2011. Para muitos, isto indica o surgimento de um novo conflito que pode depressa degenerar e envolver as principais potências mundiais. Mais

OPINIÃOGuerra à porta de casa

A última semana serviu para perceber que temos a guerra à porta de casa e que o mundo está mais perigoso. Uma guerra difícil de explicar, porque as suas causas são complexas e confusas. Mais

OPINIÃOFechar a porta não resolve

Sexta-feira, 7 de abril. Um camião roubado ziguezagueia por entre a multidão que faz compras na mais movimentada rua de Estocolmo, antes de se desfazer e incendiar contra a montra de uma loja. Mais

EDITORIALReforçar laços

Assegurar aos alunos de origem portuguesa no Luxemburgo aulas de língua materna, desde o precoce ao secundário, é o grande objetivo de um acordo que António Costa vem assinar hoje no Grão-Ducado. Mais

OPINIÃOAqui jaz liberdade de expressão

“Jesus morreu, Marx também, e eu próprio não me estou a sentir muito bem…”. Se o humor negro o faz sorrir, faça-o em segredo: a Liberdade de Expressão é uma conquista do Iluminismo, custou muito sangue, suor e lágrimas, mas está atualmente em vias de extinção, asfixiada por formas de repressão cada vez menos subtis. Mais

OPINIÃOFutebo...lada!

Os portugueses falam demais de futebol, grande parte das vezes, sem saberem muito bem o que estão a dizer. São apenas comandados por uma paixão irreprimível. Mais

EDITORIAL28 tons de azul

A União Europeia celebrou sessenta anos no sábado. A cerimónia em Roma quis-se uma demonstração de união, mas no céu azul estrelado paira a sombra do Brexit e de uma crise interna do ideal europeu que se arrasta há anos. Mais

OPINIÃOSeleção está no bom caminho

A vitória sobre a Hungria mostra que a equipa das ’quinas’ respira saúde e tem condições para terminar em primeiro lugar do seu grupo no apuramento para o Mundial de 2018. Com qualidade e determinação, os comandados de Fernando Santos terão de ganhar os cinco jogos que faltam para destronar a Suíça. Mais

OPINIÃOSessenta anos e uma vida pela frente

POR HUGO GUEDES - Convidada para abrilhantar uma das cerimónias oficiais de celebração da assinatura do Tratado de Roma, Barbara Hendricks lançou uma frase lapidar: “Aos 60 anos, a Europa ainda é jovem”. Mais

OPINIÃOO incontinente holandês

Ainda se ouvem os protestos ruidosos contra as infelizes declarações de Jeroen Dijsselbloem, um nome impronunciável para a maioria dos portugueses. Protestos que vêm de todas as latitudes. Mais

EDITORIAL: Até 13 de julho

Os estrangeiros que residem no Luxemburgo têm o direito de votar nas autárquicas do próximo mês de outubro. Mas, para isso, primeiro têm que inscrever-se nos cadernos eleitorais. Até 13 de julho. Mais

OPINIÃO: Um megaprocesso

O prazo para a produção de acusação no “caso Marquês”, que tem José Sócrates como principal arguido, foi mais uma vez prolongado, provocando a esperada indignação do antigo primeiro-ministro. Ele pode ter alguma razão, mas não terá toda a razão. Mais

Cartas à redaçãoSistema hospitalar luxemburguês em perigo

O Luxemburgo pode orgulhar-se de possuir um dos melhores sistemas de saúde do mundo, como atestam recentes relatórios. O “Euro Health Consumer Index” situa o país em 6° lugar europeu em 2016 e eleva-o ao 4° no tratamento das doenças cardiovasculares. (...) Mais

OPINIÃO: Duche escocês

Os benefícios para o bem-estar geral do organismo obtidos por despejar jatos de água quente e fria, alternadamente, sobre o corpo, são bem conhecidos. A prática, presente em muitas termas, é conhecida por “duche escocês” e beneficia a circulação, através da dilatação e constrição dos vasos sanguíneos. Mais

EDITORIALOito de março

Hoje, 8 de março, assinala-se o Dia Internacional da Mulher. Apesar dos progressos de que tanto nos regozijamos nos países ocidentais, ainda estamos longe da igualdade de direitos. Mais

OPINIÃOO último rei da Europa

Em “O último rei da Escócia”, o tresloucado ditador africano Idi Amin, que a todos aterrorizava, é contrariado pelo seu médico escocês; a sua reação é de surpresa e admiração. “Aqui está o tipo de pessoa de que um presidente necessita ter por perto: um homem que não tem medo de dizer aquilo que pensa.” Mais

OPINIÃOSalários & salários Ldª

A polémica antiga sobre os vencimentos dos políticos deve regressar com a publicação de um livro do ex-deputado José Magalhães sobre o assunto. Não vão faltar comparações entre os salários dos políticos e os dos gestores de empresas. Mais

EDITORIALA ágora dos estrangeiros

O Festival das Migrações foi no passado o palanque público onde os estrangeiros reivindicavam direitos. Chegou a ser ponto de passagem obrigatório para políticos, representantes de partidos e mesmo do Governo. Agora, já não. Porquê? Mais

OPINIÃOOs portugueses devem muito

“… ao dr. Paulo Núncio”, disse a líder do CDS sobre o anterior secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, que é membro deste partido. Para estar coberta de razão, faltou a Assunção Cristas dizer uma palavra: “devido”. Mais

OPINIÃODez mil milhões são muitos milhões

Para que a opinião pública não adormeça, ciclicamente é dado à estampa mais um escândalo, um safanão que acorda o Povo. O mais recente é a fuga de 10 mil milhões de euros que “voaram” de Portugal, para os paraísos fiscais. Mais

EDITORIALDonald, o “trumpalhão”

Em política costuma fazer-se o balanço dos 100 dias de um governo no poder para avaliar o estado de graça do mesmo. No caso da Adminisração Trump, no cargo há um mês, só se pode falar em “estado de desgraça”. Mais

EDITORIAL: Olhó o robô!

Esta semana, por iniciativa da eurodeputada luxemburguesa Mady Delvaux-Stehres, vai ser discutido em Bruxelas que tipo de legislação criar a nível europeu para regulamentar os robôs e a inteligência artificial. Mais

OPINIÃOAntónio Costa com mais problemas que soluções

AVENIDA DA LIBERDADE, POR SÉRGIO FERREIRA BORGES - Sampaio da Nóvoa, antigo reitor da Universidade de Lisboa, fez saber que, até finais de Abril, decidirá se entra na corrida para Belém. Com isso, criou mais um problema para o líder socialista, António Costa. Mais

OPINIÃOA hierarquia da morte

NA RUA DA GRANDE CIDADE, POR HUGO GUEDES - Era minha intenção escrever este texto sobre Manoel de Oliveira. Mas no mesmo dia em que Oliveira desapareceu, 148 pessoas foram barbaramente assassinadas no Quénia. Mais

EDITORIALArautos da Ressurreição

POR BELMIRO NARINO - Desde há mais de dois mil anos que milhões de homens e mulheres vivem e se deixam escravizar, vilipendiar, torturar e matar por Jesus Cristo, que por nós se entregou à morte na cruz. Mais

OPINIÃO: Cinismo

Avenida da liberdade, por Sérgio Ferreira Borges - Mais uma vez, os emigrantes foram usados para manobras de diversão e propaganda. O anúncio de um programa de encorajamento ao regresso dos portugueses imigrados não passa disso mesmo. Mais

OPINIÃO: Somos todos macacos

Na Rua da Grande Cidade, por Hugo Guedes - Uma imagem vale mil palavras. A imagem dada por Dani Alves, um jogador de futebol, no passado domingo, é bem capaz de ter feito mil vezes mais pela causa da luta anti-racismo do que mil artigos, argumentos ou provas científicas. Mais

EDITORIAL: A Revolução que não foi

Por Belmiro Narino - “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce... Cumpriu-se o Mar, o Império se desfez, /Senhor, falta cumprir-se Portugal” (Fernando Pessoa, 1988-1935). Este lamento do poeta vale também para o 26 de Abril, que ainda não se cumpriu... Foi devolução, do poder ao povo, mas não revolução, no sentido completo de mudança radical, dramática, e de grande amplitude. Por falta de sonho, a obra ainda não nasceu. Mais

OPINIÃO: Desemprego e democracia

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - O 25 de Abril acabou, vem aí o Primeiro de Maio. Mas há muitas instituições que pretendem prolongar as comemorações dos 40 anos da revolução dos cravos até 2015. A proposta faz algum sentido, se o tempo for bem aproveitado. Mais

OPINIÃO: Gabriel García Marquez, 25 de Abril e Utopia

Por Pedro Carrito - Não é de muito difícil reflexão encontrar um ponto comum nestes temas. No entanto, essa possibilidade afasta-se e aproxima-se dependendo da interpretação ou conexão histórica dos assuntos a abordar. Na especificidade actual diria que todos estão incrivelmente relacionados e este exercício só peca pela negativa de todos eles se anularem à realidade histórica que vivemos. Mais

OPINIÃO: Crónica de uma morte anunciada

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Parece que todos os jornais tinham preparado os seus obituários para Gabriel García Marquez (como imagino que eles também estejam preparados para o seu amigo Fidel Castro – a diferença é que este último se tem recusado teimosamente a morrer). García Marquez, o enorme escritor colombiano, tinha 87 anos, estava fisicamente decadente e enfermo. Na quinta-feira de Páscoa, o mago apagou-se. Mais

OPINIÃO: O 25 de Abril não chegou à economia

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - Há 40 anos, eu esperava com ansiedade por aquele dia. Não sabia que seria a 25, mas tinha absoluta certeza que estava perto o fim da ditadura. As pouco precisas informações que tinha chegavam das mais variadas proveniências, todas fidedignas. Mais

EDITORIAL - O Homem-Deus ressuscitado: razão e fé

Por Belmiro Narino - Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus... Por nós, homens, e para nossa salvação... encarnou pelo Espírito Santo no seio da Virgem Maria e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos, padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai” (Credo). Mais

OPINIÃO: O saudosista

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Ao ser empossado primeiro-ministro em 2002, Durão Barroso recebeu um elogio público da sua esposa, que o comparou a um cherne (um peixe que habitualmente lidera o seu ecossistema). Claro que a alcunha pegou em Portugal. Mas em Bruxelas, após dez anos como presidente da Comissão Europeia e devido a outras qualidades políticas que não a liderança, o agora denominado José Manuel Barroso ganhou outro cognome: “o camaleão”. Um animal que muda de cor para melhor se adaptar – e confundir com – o ambiente em que está inserido. Mais

OPINIÃO: O 25 de Abril da polémica

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - As comemorações dos 40 anos do 25 de Abril prometem ser muito mais que isso. A efeméride deve ser aproveitada para aumentar o tom da contestação política e para continuar uma polémica que já está a ferver. Tudo, porque os capitães de Abril não vão discursar, na sessão solene da Assembleia da República. Mais

EDITORIAL: Teoria da Relatividade e Ressurreição

Editorial, por Belmiro Narino - A Bíblia é um hino à luz. A luz é uma presença permanente, do primeiro ao último capítulo (Gn 1,3 – faça-se a luz; Ap 22,16 – Jesus, estrela brilhante da manhã). Deus é luz e fonte de luz (Nm, Job, Sl). Dá-nos a sua luz, para iluminar o caminho (Is 2,5). Na passagem escatológica, a luz dará mais luz (Is 30,26), será a aurora sem fim. Mais

OPINIÃO: Vícios privados, públicas virtudes!

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - Não tenho nada contra a medicina privada, a que já recorri algumas vezes, mas tenho tudo a favor da saúde pública e, sobretudo, do Serviço Nacional de Saúde. E lamento que as políticas desenvolvidas nos últimos anos favoreçam, claramente, as clínicas privadas. Mais

OPINIÃO: Os últimos dias da música moderna

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Os Nirvana desapareceram há exactamente 20 anos, quando Kurt Cobain se suicidou com um tiro na cabeça no chamado “apartamento da sogra”, o pequeno quarto situado por cima da garagem na sua opulenta mansão em Madrona, um subúrbio de Seattle que ironicamente afixava à entrada um vistoso letreiro: “Zona livre de drogas”. Mais

EDITORIAL: Que a NATO nos valha!

Editorial, por Belmiro Narino - Mundo sem Fronteiras é um sonho ancestral, sonho sem fim, que se alberga, para não se fanar, no coração de santos, poetas e profetas, como o Papa Francisco. É uma flor que nasce nos jardins da compaixão, quando uma tragédia, maior que todas, se abate, absurda, sobre um rincão da terra. Mais

OPINIÃO: Chega de segredinhos

COLUNA DE OPINIÃO "NA RUA DA GRANDE CIDADE", por Hugo Guedes - Sente esta sensação de maior pureza e frescura no ar? Não é só a Primavera. Respira-se um pouco melhor no Luxemburgo desde a semana passada e podemos agradecê-lo à Europa. Mais

OPINIÃO - Aqui na terra tão jogando futebol…

COLUNA DE OPINIÃO "AVENIDA DA LIBERDADE", por Sérgio Ferreira Borges - Os fluxos migratórios de Portugal para o Brasil estão a baixar, em relação ao que aconteceu nos últimos cinco anos. E só há uma explicação: a economia brasileira está a arrefecer e as oportunidades são agora muito menores. Mais

EDITORIAL - Cidadãos de segunda

EDITORIAL, por José Luís Correia - Está convocada para hoje, uma manifestação frente ao Consulado de Portugal na cidade do Luxemburgo, para reivindicar mais funcionários e mais meios, de modo a este poder responder de forma mais adequada ao contínuo aumento da comunidade portuguesa no Luxemburgo. Mais

OPINIÃO: PS a tremer

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - O Partido Socialista está a ficar nervoso com a perda de terreno nas sondagens eleitorais. Toda a gente dá como garantida a vitória do PS nas eleições europeias e legislativas, mas as medições de voto vão reduzindo a diferença entre o PS e os dois partidos da direita. Mais

EDITORIAL: Família e Matrimónio

EDITORIAL, por Belmiro Narino - Nos meus tempos de jovem estudante, eram-nos pregadas as três grandes devoções: ao SS. Sacramento, a Nossa Senhora, ao Papa. Não me parecia que o Papa estivesse bem no seu lugar. Sentimentos de respeito, aceitação e ternura, como se vê com o actual Bispo de Roma, de acordo. Mas, devoção, no mesmo pedestal das outras duas, soava um pouco a papolatria... Mais

OPINIÃO: Mr Obama goes to Europe

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - O cenário é de uma feira mundial de vinhos, o tempo é o de há alguns anos atrás. Um homem, rezam algumas versões, envergando um largo chapéu de cow-boy (mas isso já soa a embelezamento do que já é por si uma boa história), aproxima-se do stand do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto e exclama confiante em inglês com cerrado sotaque americano: “Boa noite. Apresento-me, sou o maior produtor de vinho do Porto do mundo!” Mais

OPINIÃO: Falar português é uma mais-valia académica que merece reconhecimento

CARTAS À REDACÇÃO, por Pedro Castilho - No mundo inteiro falar mais de uma língua é geralmente considerado como uma realização escolar digna de elogios. O facto de pela primeira vez o ADR protestar contra as exigências linguísticas de um anúncio de emprego que favorece lusófonos parece indicar que para o ADR existem idiomas que são menos meritórios que outros, sendo a língua portuguesa classificada nesta última categoria. Mais

OPINIÃO: O poder e o Povo!

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - A manifestação das diversas forças policiais pode ser uma fotografia do futuro. Aproximam-se as comemorações do 25 de Abril e, com elas, muitos ânimos se podem exaltar para lá do que é habitual. Há muitos extractos da sociedade descontentes, entre eles, os militares. Mais

EDITORIAL: Reinventar a Europa

EDITORIAL, por Belmiro Narino - A actual agitação na Ucrânia, cujo epicentro se vai deslocando para Leste, a península da Crimeia, leva-nos a recordar a guerra (1854-6), declarada pela Grã-Bretanha, França, Turquia e Áustria, contra a avidez insaciável da Rússia, que já cobiçava o Mediterrâneo. A guerra da Crimeia travou, por algum tempo, as ambições do czar e dos seus oligarcas. Mais

OPINIÃO: Crimes sem castigo

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - Um escândalo. Os banqueiros responsáveis pelas maiores fraudes da economia portuguesa, com duas falências à mistura, resgatadas com dinheiros públicos, estão a beneficiar da prescrição dos respectivos processos. Jardim Gonçalves foi o primeiro beneficiado. Mais

OPINIÃO: Lucros privados, prejuízos públicos

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Ao conquistar a pequena cidade de Zela na Ásia Menor, Júlio César tornou-se imperador de todo o mundo romano conhecido. O relato da sua vitória que levou ao Senado, pleno de arrogância na sua falsa simplicidade, ficou para a História: "Veni, Vidi, Vici" – vim, vi e venci. Todos a partir dali prestariam o tributo fixado pelo ditador e arrecadado pelos questores. Mais

EDITORIAL: O Papa vindo do futuro

EDITORIAL, por Belmiro Narino - Disse Kierkegaard que ser cristão é ser contemporâneo de si mesmo. No pensamento e na vida. Muitos seres humanos andam com a vida adiada, porque são órfãos do tempo, retrógrados programados. Os meios de comunicação social, abundantes e variados, são a voz das elites políticas, financeiras e, nalguns países, religiosas, mancomunadas para produzir, na inconsciência das massas populares, uma resposta pavloviana. A sua resposta. Mais

OPINIÃO: Os "privilegiados"

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Há histórias que tanto dão para rir como para chorar. Na semana passada li no site do jornal CONTACTO algo assim, contando como um anúncio de emprego publicado por uma associação humanitária serviu de arma de arremesso político para um partido da direita populista. O crime do anúncio? Pedir que a pessoa a contratar dominasse a língua portuguesa. Mais

OPINIÃO: Merkel rende-se a Juncker

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - Jean-Claude Juncker parece correr, de forma imparável, para a presidência da Comissão Europeia. A chanceler alemã rendeu-se ao prestígio internacional do antigo primeiro-ministro luxemburguês e percebeu que ele é o melhor candidato, da área conservadora. Mais

OPINIÃO: A diplomacia dos afectos

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - À hora a que escrevo, é esperado em Lisboa o primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, para uma visita carregada de significado. O programa é intenso e revela muito mais que aquilo que as aparências podem mostrar. Mais

OPINIÃO: PSD volta a acreditar na vitória

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - O PSD conseguiu transformar o seu congresso numa festa e num comício pré-eleitoral, com inegável sucesso. Mais importante que a vitória alcançada nas eleições para a liderança, foi o desfile de elogios que Passos Coelho recebeu de alguns oradores de primeira linha, como Marcelo Rebelo de Sousa ou Pedro Santana Lopes. Mais

OPINIÃO: Juncker, o amigo dos portugueses

Por Luís de Sousa - Não me foi fácil compreender a deferência que a comunidade portuguesa em geral tem para com Jean-Claude Juncker. Mesmo entre aqueles que se identificam mais com valores de esquerda existe um respeito especial pelo antigo primeiro-ministro; mais até que entre os próprios luxemburgueses do mesmo quadrante político. Este respeito é em tudo saudável, contrastando enormemente com o que se passa em Portugal, mas ainda assim fora do comum. Mais

OPINIÃO: Algo giro, para variar

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Os jornais, a televisão, a rádio, os média em geral têm cada vez menos clientes para a sua informação e isso acontece em grande parte porque já poucos têm paciência para serem massacrados periodicamente com más notícias. Não tenho nenhum estudo que corrobore esta afirmação – trata-se apenas de uma opinião baseada em constatações. Mas o nosso instinto de autoprotecção sobrepõe-se muitas vezes à vontade de saber o que se passa no mundo, porque tantas notícias duras podem não matar, mas moem... Mais

OPINIÃO: As inseguranças de Seguro

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - O líder do Partido Socialista está debaixo de intensa pressão interna, começando a evidenciar um certo nervosismo. Para já, tem de ganhar de forma concludente as eleições europeias de 25 de Maio, mas as sondagens conhecidas não auguram nada de muito bom. Mais

EDITORIAL: O bem não é comercial

EDITORIAL, por Belmiro Narino - "Le bien n'est pas commercial", assim respondeu um jornalista da TFI a quem lhe perguntou por que razão o jornal televisivo dá mais tempo e maior importância às más notícias do que às boas. Esta preferência descomedida não é apenas um pendor mórbido dos modernos meios de comunicação, porquanto já era denunciada pelo poeta inglês Michael Drayton, no longínquo séc. XVI: "Ill news hath wings, and with the wind doth go..." ("Más notícias têm asas e são levadas pelo vento", o bem-estar é claudicante, anda sempre atrasado). Mais

EDITORIAL: Infame é a intolerância

EDITORIAL, por Belmiro Narino - Para a mentalidade secularista da Europa actual, todos os distúrbios e guerras no mundo têm a sua origem em conflitos religiosos. Os títulos dos noticiários que nos são servidos diariamente parecem dar-lhe razão. E também o passado europeu, nomeadamente nos séculos XVI e XVII. Mais

EDITORIAL: Achtung: campanha suja

EDITORIAL, por Paula Telo Alves - É uma velha piada política, mas parece que ainda há quem não a conheça. Imagine que há eleições para escolher o líder que vai governar o planeta e que o resultado depende apenas de si. À escolha, tem dois candidatos: o candidato A é conhecido por dormir até ao meio-dia, fumar constantemente e beber whisky como se não houvesse amanhã. O candidato B é um herói de guerra, é vegetariano, não ingere bebidas alcoólicas nem fuma. Quem prefere? Mais

OPINIÃO: Hooliganismo na Universidade

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - A crise moral e intelectual que dilacera a juventude portuguesa ficou cabalmente demonstrada pela morte de seis estudantes, num episódio que está ainda longe de um esclarecimento cabal. Mais

OPINIÃO: O local do suborno

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Creio que a história se passou comigo em 2003. Estava então de visita à minha musa da época, uma rapariga austríaca; curiosos por conhecer a Eslováquia, país para lá da Cortina de Ferro e que estava na altura prestes a juntar-se à UE (e a Schengen), decidimos simplesmente apanhar um comboio suburbano em Viena e passar a tarde em Bratislava (a 50 km, as duas capitais mais próximas do mundo a seguir a Kinshasa e Brazzaville no rio Congo). Mais

EDITORIAL: O Livro do Inconseguimento

EDITORIAL, por Belmiro Narino - "Portugal não tem partidos de direita, de esquerda, de nada, tem um bando de salafrários que se reúnem para roubar juntos" (José Saramago). Mais

OPINIÃO: Passos acredita na vitória

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - Passos Coelho está cada vez mais convencido que a coligação que lidera pode ganhar as eleições europeias de 25 de Maio. E agora são as sondagens que o ajudam nesse convencimento. E o PS pode perder, apesar de subir mais de nove pontos, em relação à votação que obteve em 2009. Mais

OPINIÃO: Terra dos Fogos

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - Após uma viagem de pesadelo em que teve de esperar seis meses ancorado numa baía pelo fim do rigoroso Inverno e ainda enfrentar dois motins que punham em causa a sua autoridade, Magalhães ultrapassou o rio da Prata e rumou ao sul, convicto de encontrar a mítica passagem para o Pacífico. Mais

Opinião: Tenham calma!

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - Em Portugal, começa a sentir-se já uma guerra de nervos em relação às próximas eleições presidenciais. Mas ainda é muito cedo, porque as escolhas partidárias estão dependentes do que vier a acontecer nas legislativas de 2015. Mais

Editorial: Ecumenismo

EDITORIAL, por Belmiro Narino - Ecumenismo (no original grego, "o mundo habitado") é o termo escolhido para designar o movimento que procura restaurar a unidade visível de todas as Igrejas cristãs. Um marco importante foi a Conferência Missionária de Edimburgo (1910). A crescente adesão de novos membros levou à criação do Conselho Mundial das Igrejas, em 1948. Mais

Opinião: Infidelidades

NA RUA DA GRANDE CIDADE, por Hugo Guedes - O ano é 1993. O local é a SIC, a primeira televisão privada em Portugal, à época recém-nascida. José Pacheco Pereira, então um comentador que mantinha algum crédito, comentava o panorama político do mundo ocidental – onde, tal como agora, se verificava uma esmagadora maioria de governos conservadores e neoliberais. Referindo-se ao novo e jovem presidente dos EUA, Pacheco troçava do futuro sem remissão da Esquerda com um soundbite que pegou: tudo não passaria de um efémero "orgasmo clintoniano". Mais

A Personalidade do Ano

OPINIÃO, por Luís de Sousa - A comunicação social aproveita tradicionalmente o abrandar de notícias em torno do Natal para passar o ano em revista e apontar a personalidade do ano. A revista americana Time entregou o título ao Papa Francisco, dando o mote ao resto do mundo jornalístico, em especial em países como Portugal, onde a imprensa nem sempre se presta a opinião própria. Mais

Ventos de mudança

OPINIÃO, por Hugo Guedes - No seu livro "O mundo em 2030" (escrito há seis anos, em 2007), o futurologista Ray Hammond pinta um quadro preocupante do planeta em que vamos viver num futuro próximo, uma espécie de nuvem negra que é ainda assim rodeada por uma aura prateada: desde logo, é suposto que tanto o planeta como a Humanidade continuem a existir em 2030. Já não é mau. Mais

O homem de que a Europa precisa

AVENIDA DA LIBERDADE, por Sérgio Ferreira Borges - As eleições da próxima Primavera para o Parlamento Europeu serão as mais importantes de todas as que se efectuaram até hoje. Da futura composição daquele órgão vai depender a escolha do próximo presidente da Comissão Europeia. Mais

A Bandeira da Europa

EDITORIAL, por Belmiro Narino - Continua a flutuar e a ser, para povos que vivem afundados no pântano da corrupção e da injustiça, um farol de esperança. Nem tudo vai bem nos países do Sul. Mas a crise, que está a corroer sistematicamente o nível de vida, é, em grande parte, devida à corrupção que não quiseram banir. Mais