Escolha as suas informações

ONU diz que "dupla eleição" na Venezuela dificulta "diálogo urgente"
Mundo 07.01.2020 Do nosso arquivo online

ONU diz que "dupla eleição" na Venezuela dificulta "diálogo urgente"

ONU diz que "dupla eleição" na Venezuela dificulta "diálogo urgente"

AFP
Mundo 07.01.2020 Do nosso arquivo online

ONU diz que "dupla eleição" na Venezuela dificulta "diálogo urgente"

Teresa CAMARÃO
Teresa CAMARÃO
O secretário-geral da ONU, António Guterres, diz que a eleição oficial e a eleição paralela do Presidente da Assembleia Nacional prejudicam o país e apela aos partidos da oposição ao governo de Maduro que "tomem medidas para diminuir a tensão".

Numa nota divulgada pela ONU News, António Guterres defendeu a urgência de procurar uma solução pacífica e duradoura para o novo capítulo da crise política desencadeada pela eleição oficial e pela eleição paralela do Presidente da Assembleia Nacional.

"O apelo do secretário-geral é que todos os envolvidos tomem medidas imediatas para diminuir as tensões e trabalhem para uma solução pacífica e sustentável para a crise política", apelou o secretário-geral das Nações Unidas. 

A declaração surge num momento em que o autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, recusa aceitar a derrota na votação que elegeu o também opositor ao governo de Nicolás Maduro, Luis Eduardo Parra do partido Primero Justicia. 

Impedido de entrar no congresso de Caracas pelas Forças Armadas Bolivarianas, Guaidó também foi eleito presidente do orgão legislativo nas instalações do jornal alinhado à direita El Nacional.

Continuam por apurar as circunstâncias em que as autoridades impediram a entrada do autoproclamado presidente do país, reconhecido de resto por 50 países. Os deputados que apoiam Luis Eduardo Parra acusam o homem que até então liderou a oposição ao chavismo de "promover um golpe mediático".  

Juan Guaidó continua a dizer-se vítima dos militares leais a Nicolás Maduro. A confusão está instalada com vídeos que mostram o autoproclamado a recusar-se a entrar na Assembleia, em solidariedade com um deputado impedido de passar a barreira policial por ter sido inabilitado pelo Ministério Público por fraude eleitoral.

Guaidó chega mesmo a entrar no edifício mas volta para trás. Minutos depois é visto a tentar entrar novamente, desta vez, tentanto saltar as grades do edifício que está lado a lado com a Praça Bolívar, no centro da capital venezuelana. 

Os ânimos voltaram a incendiar-se, esta terça-feira. O autoproclamado conseguiu entrar nas instalações do congresso. Subiu à mesa e entoou o Gloria al Bravo Pueblo, o hino da Venezuela.  


Notícias relacionadas

Acusado de corrupção, Juan Guaidó viu deputados da oposição elegerem Luís Parra como presidente do órgão venezuelano. Os aliados de Juan Guaidó acusam agora os opositores que assumiram a direção da Assembleia Nacional de corrupção e de terem negócios com o governo de Nicolás Maduro.