Escolha as suas informações

Olaf Scholz eleito chanceler federal pelo Parlamento alemão
Mundo 3 08.12.2021
Era pós-Merkel

Olaf Scholz eleito chanceler federal pelo Parlamento alemão

Era pós-Merkel

Olaf Scholz eleito chanceler federal pelo Parlamento alemão

Foto: Bernd Von Jutrczenka/dpa
Mundo 3 08.12.2021
Era pós-Merkel

Olaf Scholz eleito chanceler federal pelo Parlamento alemão

Lusa
Lusa
O executivo de Scholz assume grandes esperanças em modernizar a Alemanha e no combate às alterações climáticas, mas enfrenta o desafio imediato de lidar com a pandemia do coronavírus.

O social-democrata Olaf Scholz foi eleito esta quarta-feira chanceler federal pelo Parlamento alemão (Bundestag), onde o partido que lidera e os aliados na coligação governamental, verdes e liberais, têm maioria.

Scholz, que assumirá a nona chancelaria desde o final da II Guerra Mundial, sucede no cargo à conservadora Angela Merkel, que passa o poder após 16 anos no executivo germânico a quem foi vice-chanceler e ministro das Finanças na sua última grande coligação. O novo chanceler eleito recebeu 395 votos.


O novo ministro da Saúde, Karl Lauterbach (ao centro), com o futuro chanceler da Alemanha, Olaf Scholz (à esquerda), e a nova ministra do Interior Nancy Faeser (à direita).
Novo chanceler da Alemanha escolhe epidemiologista para ministro da Saúde
Karl Lauterbach é o novo ministro da Saúde, a pasta que faltava preencher na distribuição de cargos do governo de coligação com Verdes e liberais.

A coligação de três partidos detém 416 dos 734 assentos na câmara baixa do parlamento. Scholz será ainda esta quarta-feira formalmente nomeado chanceler pelo presidente da Alemanha e empossado pelo presidente do Parlamento.

O executivo de Scholz assume grandes esperanças em modernizar a Alemanha e no combate às alterações climáticas, mas enfrenta o desafio imediato de lidar com a fase mais difícil do país, associada à pandemia do coronavírus.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Salário mínimo de 12 euros por hora, planos para legalizar a venda regulamentada de canábis, possibilidade de votar a partir dos 16 anos e o objetivo de construir 400 mil novos apartamentos por ano para combater a crise habitacional são algumas das intenções da nova coligação.
O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, apresentou esta terça-feira a demissão ao Presidente da República, Sergio Mattarella, que vai iniciar consultas com os restantes partidos para resolver a crise política, informou o chefe de Estado.