Escolha as suas informações

O que sucede quando a lava do vulcão entra no mar? Um cenário apocalítico
Mundo 6 4 min. 21.09.2021
Espanha

O que sucede quando a lava do vulcão entra no mar? Um cenário apocalítico

Espanha

O que sucede quando a lava do vulcão entra no mar? Um cenário apocalítico

Foto: AFP
Mundo 6 4 min. 21.09.2021
Espanha

O que sucede quando a lava do vulcão entra no mar? Um cenário apocalítico

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
O rio de lava do Cumbre Vieja em erupção em La Palma está a dirigir-se para o oceano deixando um rastro de destruição. Mas os especialistas alertam que o pior está para vir: o contacto da magma com a água salgada vai originar explosões, desabamentos e nuvens tóxicas.

Mais de seis mil pessoas já foram evacuadas das zonas próximas do Vulcão Cumbre Vieja, em Palma, nas Canárias, que está em erupção desde domingo. Até agora não houve vítimas a assinalar, mas o perigo aumenta porque o rio de lava vulcânica se dirige para o mar, estimando as autoridades que o encontro do fogo e água salgada ocorra em breve.

Ángel Víctor Torres, presidente das Canárias, alertou que o rio de magma se dirige "inexoravelmente para o mar" e não se pode fazer nada para o impedir” pois desliza "a uns 200 metros por hora".

Neste percurso, o fluxo tem destruído tudo em redor num cenário "devastador", como contou, por seu turno, Mariano Hernández Zapata, presidente do Cabildo de La Palma. "Um fluxo de lava com uma altura média de seis metros corrói literalmente casas, infraestruturas, colheitas que encontra a caminho", frisou o responsável, citado pelo El País, avançando que 200 habitações foram assim destruídas. A melhor notícia é que "não há a lamentar vítimas", vincou.

Mas, o pior pode estar para vir, quando o fluxo de lava entrar no oceano, o que deverá acontecer nas próximas horas, na costa de Tazacorte, possivelmente na Playa Nueva, nos Los Guirres, segundo os cálculos dos especialistas.

Explosões e nuvens ácidas

O contacto deste rio de massa a arder com o mar representa um perigo para pessoas e animais devido à sua produção de gás tóxico e partículas nocivas que daí resulta, explicou à AFP Patrick Allard, um perito francês em gases vulcânicos.

Quando a lava, rocha derretida a mais de mil graus Celsius entra no mar, que está a uma temperatura entre 20-25 graus Celsius ocorrem vários fenómenos com efeitos perigosos.


Pelo menos 6.000 pessoas retiradas das proximidades de vulcão em erupção nas Canárias
A primeira erupção desde 1971 do vulcão Cumbre Vieja não causou vítimas, mas está a causar danos significativos.

O primeiro é "uma súbita e brutal vaporização da água do mar, como sucede quando colocamos água numa panela vazia quente", provocando uma explosão que produz "estilhaços de magma", tóxicos, exemplificou este cientista diretor de investigação no CNRS Institut de Géophysique du Globe de Paris.

Além do perigo para quem esteja nas proximidades da explosão, há ainda o transporte aéreo destes "estilhaços de lava" que são cristais vulcânicos, e nos campos onde caem podem contaminar os solos, tornando-se tóxicos para os animais.

O confronto da lava com o mar origina também a formação de uma nuvem de vapor ácido, devido à presença de aerossóis de ácido clorídrico. Patrick Allard salienta que a água do mar é rica em cloro, por causa do sal marinho, ou seja, cloreto de sódio. A vaporização da água, ao decompô-la em oxigénio e hidrogénio, combina este último com o cloro. A combinação de hidrogénio e cloro produz ácido.

As nuvens criadas pela interação entre água do mar e lava são, portanto, ácidas", alertou Patrick Allard, sublinhando que são "nuvens nada agradáveis" podendo irritar a pele, os olhos e as vias respiratórias. "Podem ser perigosas para quem estiver demasiado perto", disse este perito. As autoridades já evacuaram uma enorme área, em terra e no mar, na zona onde se prevê que o rio de lava desague.

Ondas de mar a ferver e colapsos

Últimos efeitos:  Os fluxos de lava que entram no mar não são estáveis. Se mergulham na água, geram ondas locais de água a ferver, destabilizam os terrenos costeiros que podem colapsar repentinamente.

Contudo, este perito em vulcanologia lembra que tudo isto é um "efeito secundário da erupção", provocado pelo confronto da lava com o mar. "A maioria da parte tóxica da erupção está ligada aos gases magmáticos, que estão a alta temperatura e carregados com ácidos clorídricos e fluorídricos e dióxido de enxofre", disse Patrick Allard.

Segundo os primeiros cálculos do Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan) o vulcão Cumbre Vieja tem emitido entre seis mil a nove mil toneladas diárias de dióxido de enxofre. Os gases existentes no magma soltam-se durante a erupção e são injetados na atmosfera a altas temperaturas e velocidades.


Ilhas Canárias. Vulcão Cumbre Vieja entra em erupção
O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. As autoridades espanholas preveem retirar das zonas de La Palma mais expostas à erupção do vulcão Cumbre Vieja,, entre 5.000 e 10.000 pessoas, anunciou hoje a Guardia Civil.

O presidente das Ilhas Canárias recordou já que a única vítima mortal da erupção do vulcão Teneguia em 1971, com uma força muito superior à do Cumbre Vieja, faleceu precisamente pela inalação dos gases tóxicos.

Os especialistas não sabem durante quanto tempo o vulcão vai estar ativo e continuar, pode ser durante dias ou semanas, com o perigo de outras bocas de lava se abrirem.

O vulcão entrou em erupção no domingo depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os vulcanólogos advertiram nestes dias a população para que não se aproxime do rio de lava quando este entrar no mar, porque podem ocorrer novas explosões e intensificar-se o fumo com substâncias tóxicas para olhos, pulmões e pele.