Escolha as suas informações

O karma é lixado
Opinião Mundo 3 min. 07.10.2020

O karma é lixado

O karma é lixado

Foto: AFP
Opinião Mundo 3 min. 07.10.2020

O karma é lixado

Hugo GUEDES PINTO
Hugo GUEDES PINTO
Uma mentira dá a volta ao mundo enquanto a verdade ainda está a apertar as botas.

"Senhor presidente. Estou aqui sentado, literalmente chorando e vomitando por ouvir as notícias de que está doente. Não há ninguém tão corajoso como o senhor. Em sua homenagem, chamei Donald ao meu primeiro filho. Se alguma coisa má lhe acontecer eu nem sei o que será de mim. Obrigado por acabar com o racismo". Este lindo texto foi lido por todo o Twitter recentemente – escrito por um profissional da desinformação e publicado por centenas de diferentes "utilizadores" que são na verdade robots, contínuos retransmissores de umas fake news quaisquer.

Uma mentira dá a volta ao mundo enquanto a verdade ainda está a apertar as botas. Mark Twain continua certo – aliás, ele nunca esteve tão certo. Trump apanhou covid, dizem. Mas também dizem que é tudo uma encenação desesperada para ganhar votos daqui a um mês. Ele estava muito doente e também não estava nada doente, dizem. Ele contratou um duplo para não aparecer em público enfraquecido, dizem. Mesmo ao lado, dizem que ele nunca precisou de duplos porque recuperou como um touro e rejuvenesceu 20 anos – no fundo até foi a covid a apanhar Trump e não o contrário. A doença é uma conspiração das elites, nas quais se inclui o presidente... mas não, ele é o escolhido pelas forças do Bem, lutando pela Verdade contra essa mesma pérfida conspiração que inclui Obama e Bill Gates. Para cada nova simples notícia há pelo menos cinco novas teorias, cada qual a mais mirabolante.

Não podemos confiar em nada, em ninguém, em nenhum lugar, nunca. Quem anda, mesmo que de raspão, nas redes sociais – e não adianta negá-lo, andamos todos – sabe bem que a verdade (ou simplesmente um facto objectivo) se tornou numa quimera inatingível. Quando apareceu a comunicação digital instantânea, os optimistas como eu sonharam com um mundo onde o acesso à informação fosse tão livre e democrático que aquela fluiria, ilimitada, para nivelar por alto o conhecimento e o saber, acelerando imparavelmente o progresso da Humanidade. Pois bem, em vez da utopia obtivemos a distopia. Abriu-se a caixa de Pandora e agora reinam a mentira, a propaganda, a maledicência, a distorção, a manipulação e – demasiadas vezes – a loucura pura e simples.

Só há duas atitudes possíveis perante isto: uma delas é suspirar pelo dia em que a anarquia tóxica das redes seja finalmente regulada, seguindo o mesmo processo que a imprensa, a rádio, a tv seguiram nos seus dias de glória, separando a ciência da crendice e a confiança do cano de esgoto. A outra, bem... é outra é entrar no jogo, e já que não podes vencê-los junta-te a eles. De repente a covid não passa de um embuste global para vender vacinas feitas de açúcar, Trump é um enviado divino e pelo sim pelo não é melhor chamar Donald a todos os nossos filhos e filhas.

E no entanto! Nem todos os robots de propaganda do mundo conseguem mudar a justiça poética de ver... o homem que acorda e adormece a pensar em si mesmo, rindo-se do vírus, ridicularizando todos aqueles que andam de máscara e respeitam os cuidados sociais, espalhando os seus valores de indecência enquanto o mundo arde à sua volta... a apanhar covid. Realmente o karma é lixado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.