Escolha as suas informações

Número de mortos em discoteca na Tailândia sobe para 17
Mundo 11.08.2022
Incêndio

Número de mortos em discoteca na Tailândia sobe para 17

Incêndio

Número de mortos em discoteca na Tailândia sobe para 17

Foto: AFP
Mundo 11.08.2022
Incêndio

Número de mortos em discoteca na Tailândia sobe para 17

AFP
AFP
Aquela que é uma das tragédias mais mortíferas do país nos últimos anos ocorreu na madrugada da passada sexta-feira, quando um incêndio deflagrou na discoteca Mountain B.

O número de mortos no incêndio que ocorreu no final da semana passada numa discoteca na Tailândia, perto da cidade turística de Pattaya, subiu para 17, confirmou esta quinta-feira uma das equipas de salvamento.

"A 17ª. vítima é um oficial da marinha de 40 anos", informaram os trabalhadores de resgate no distrito oriental de Sattahip, no Facebook, citando a unidade de queimados no Hospital Siriraj em Banguecoque, onde o homem morreu.

Aquela que é uma das tragédias mais mortíferas do país nos últimos anos, ocorreu na madrugada da passada sexta-feira, quando um incêndio deflagrou na discoteca Mountain B, a cerca de 180 quilómetros a sudeste da capital. 

Inicialmente, os serviços de emergência confirmaram 13 vítimas mortais, que faleceram no local, e cerca de 40 feridos. Nos últimos dias, mais quatro outras pessoas morreram devido aos ferimentos. 


Tailândia. Pelo menos 13 mortos e 41 feridos em incêndio numa discoteca
Foram necessárias mais de duas horas para controlar o fogo devido à grande quantidade de material inflamável dentro das instalações.

As autoridades da província de Chonburi, onde ocorreu a tragédia, disseram esta quinta-feira que 29 pessoas ainda se encontravam no hospital, 15 das quais ligadas a suportes artificiais de respiração. 

O proprietário do estabelecimento foi detido no sábado antes de ser libertado sob fiança na segunda-feira. Em conferência de imprensa, o proprietário negou as alegações de que uma das saídas de emergência da discoteca estava bloqueada nessa noite.

De acordo com as equipas de resgate, a presença de espuma acústica nas paredes, que deveria isolar o edifício do ruído exterior, ajudou a propagar o incêndio.

Os primeiros elementos da investigação policial determinaram que o estabelecimento tinha recebido aprovação das autoridades para funcionar como um restaurante, mas não como discoteca. 

As regras básicas de segurança são frequentemente ignoradas na Tailândia, um destino popular para os visitantes ocidentais e asiáticos. 

O Primeiro-Ministro Prayut Chan-O-Cha apelou entretanto a normas de segurança mais rigorosas, apontando para a imagem negativa que o incêndio envia para o estrangeiro. 

Esta não é a primeira tragédia do género no país. Em 2009, um incêndio numa outra discoteca, a Santika, em Banguecoque, na noite da passagem de ano,   matou 67 pessoas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.