Escolha as suas informações

Novo confinamento na Moselle descartado para já
Mundo 2 min. 14.02.2021 Do nosso arquivo online

Novo confinamento na Moselle descartado para já

Novo confinamento na Moselle descartado para já

Foto: Lex Kleren
Mundo 2 min. 14.02.2021 Do nosso arquivo online

Novo confinamento na Moselle descartado para já

Aulas vão manter-se e medidas restritivas atuais são consideradas suficientes, apesar da propagação de novas variantes.

Um confinamento total está, para já, posto de parte na Moselle. Apesar de estar a haver uma propagação mais rápida das variantes do coronavírus na região e também em Dunquerque. 

As autoridades francesas decidiram adiar, no imediato, um reconfinamento local ou encerramento de escolas, apostando num reforço das medidas que estão atualmente em vigor. 


Autarca de Metz pede ao Governo um “reconfinanento local duro e forte”
Em quatro dias foram registados mais de 300 casos das novas variantes em Moselle. A “situação é preocupante” reconhece o ministro da Saúde.

Depois de na sexta-feira o Ministro da Saúde ter visitado Metz, o presidente do departamento da Moselle, Laurent Touvet, anunciou este sábado que as medidas de controlo já tomadas, como o recolher obrigatório diário às 18h, o encerramento de grandes centros comerciais e a utilização generalizada de máscaras «parecem ser suficientes até à data». 

Assim, e ao contrário do que alguns autarcas, como o de Metz, tinham pedido durante a visita de Olivier Véran, não está previsto um reconfinamento na região, nem o encerramento de escolas. Não há, portanto, novas restrições, mas sim um reforço da vacinação e uma «intensificação» dos testes no departamento, como anunciou, na sexta-feira, o ministro.  

Variantes progridem na região

As primeiras conclusões dos testes de sequenciação genómica apontam para uma progressão na Moselle da variante sul-africana, uma das mais preocupantes para os epidemiologistas, pela sua elevada transmissibilidade. 

A partir de agora, qualquer teste positivo será considerado como suspeito da variante e serão aplicadas as novas regras a esses casos: 10 dias de isolamento, e não sete, e a necessidade de um teste PCR negativo para sair desse isolamento, ao fim dos 10 dias.


Luxemburgo oferece ajuda a França para travar covid-19
A ministra da Saúde Paulette Lenert irá falar com o seu homólogo francês sobre o elevado número de infeções em Moselle, nomeadamente devido às variantes inglesa, brasileira e sul-africana.

Na região de Dunquerque é a progressão da variante inglesa que é motivo de preocupação. «A evolução da epidemia de Covid-19 no território de Dunquerque deteriorou-se acentuadamente nos últimos dias», refere uma declaração do departamento, apontando para «uma taxa de incidência de 515 casos por 100.000 habitantes em comparação com 384 há uma semana atrás, enquanto a presença da variante inglesa se acelerou no território».

Preocupados, os autarcas tinham pedido às autoridades na sexta-feira que encerrassem as escolas médias e secundárias uma semana antes das férias escolares. 

Para já, foi decidido adiar as entradas e saídas nas escolas infantis e primárias, a fim de evitar aglomerações e operar as aulas de liceus e outros graus de ensino «em modo misto (presencial/distancional)».