Escolha as suas informações

Nove feridos e 25 delitos em protestos contra e pró-estrangeiros na Alemanha

Nove feridos e 25 delitos em protestos contra e pró-estrangeiros na Alemanha

Foto: AFP
Mundo 25 02.09.2018

Nove feridos e 25 delitos em protestos contra e pró-estrangeiros na Alemanha

Pelo menos nove feridos e 25 crimes resultaram dos protestos pró e anti-estrangeiros que no sábado juntaram milhares de pessoas em Chemnitz, no leste da Alemanha, revelou a polícia germânica.

A polícia, citada pela agência EEF, revelou ainda que, horas depois dos protestos, um afegão de 20 anos foi atacado por quatro homens encapuçados, estando a ser investigado se os agressores participaram na manifestação da extrema-direita.

De acordo com as estimativas da polícia, os protestos juntaram 9.500 pessoas nas ruas daquela cidade do leste da Alemanha onde, uma semana antes, um homem foi esfaqueado nas ruas, alegadamente por dois imigrantes, desencadeando uma caça a estrangeiros por grupos neonazis.

Aproximadamente 4.500 pessoas participaram na marcha pró-estrangeiros, enquanto a manifestação anti-estrangeiros atraiu cerca de 4.000 pessoas.

Outras mil pessoas dividiram-se entre diferentes contramanifestações à marcha da extrema-direita e, no final, conseguiram impedir que completasse a rota prevista.

Os crimes registados pela polícia nos protestos referem-se principalmente a danos materiais, danos pessoais, resistência a agentes da polícia e ostentação de símbolos inconstitucionais.

A polícia mobilizou mais de 1.800 agentes em Chemnitz e anunciou ainda estar a investigar o ataque a uma equipa de televisão alemã.

Após a morte por esfaqueamento de um alemão e a detenção pela polícia de dois suspeitos do crime, um iraquiano e um sírio, grupos de extrema-direita lançaram no domingo passado uma “caça aos estrangeiros” nas ruas de Chemnitz.

Aquela cidade na Saxónia, no leste da Alemanha, tem sido palco de vários protestos e confrontos na última semana.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Angela Merkel condenou ataques da extrema-direita nas ruas da Alemanha
“O que vimos não tem lugar num Estado de Direito”, afirmou Merkel durante uma conferência de imprensa em Berlim, depois de se ter reunido com o homólogo croata. “Vimos caçadas coletivas, vimos ódio na rua, e isso nada tem a ver com um Estado de Direito”, insistiu, referindo-se às imagens dos incidentes em Chemnitz.