Escolha as suas informações

Nova Zelândia. Papa pede "gestos de paz" para acabar com ódio e violência

Nova Zelândia. Papa pede "gestos de paz" para acabar com ódio e violência

Foto: AFP
Mundo 17.03.2019

Nova Zelândia. Papa pede "gestos de paz" para acabar com ódio e violência

Papa Francisco lamentou o ataque em Christchurch e afirmou que reza pelas vítimas.

O papa Francisco lamentou hoje o ataque contra duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, que causou 50 mortos, e pediu "gestos de paz para acabar com o ódio e a violência".

"Nestes dias, à dor pelas guerras e aos conflitos que não param de afligir toda a Humanidade, juntaram-se as vítimas do horrível atentado a duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia", na sexta-feira, disse Jorge Bergoglio da janela do palácio apostólico do Vaticano, depois da Oração do Angelus.

“Rezo pelos mortos e pelos feridos e pelos familiares. Mostro a minha proximidade com a comunidade religiosa e civil e renovo o convite à união em oração e a gestos de paz para acabar com o ódio e a violência", acrescentou o papa Francisco.

Um atirador matou na sexta-feira 50 pessoas num ataque a duas mesquitas de Christchurch. O suspeito tinha licença e adquiriu de forma legal as armas que usou para cometer os crimes.

Brenton Tarrant foi já presente ao juiz Paul Kellar, do tribunal distrital, que lhe leu uma acusação de homicídio. Entrou no tribunal algemado e acompanhado por dois polícias e esteve perante o juiz cerca de um minuto. Tarrant vai regressar ao tribunal no dia 5 de abril.

Os ataques tiveram início às 13:40 (1:40 no Luxemburgo) nas mesquitas de Al Noor, em Hagley Park, e de Linwood Masjid.

Christchurch, com 376.700 habitantes, é a maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia e a terceira maior cidade do país, localizada na costa leste da ilha e a norte da península de Banks. É a capital da região de Canterbury.

Brenton Tarrant reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto na internet o momento do ataque.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Nova Zelândia vai ter nova lei de armas
Anúncio será feito dentro de dez dias, segundo revelou a primeira-ministra Jacinda Ardern, na sequência do massacre de 50 pessoas no ataque de sexta-feira em Christchurch.