Escolha as suas informações

Negociações entre Ucrânia e Rússia acabam com acordo, mas para continuar a conversar sobre fim da guerra
Mundo 28.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

Negociações entre Ucrânia e Rússia acabam com acordo, mas para continuar a conversar sobre fim da guerra

Membros de delegações russas e ucranianas.
Guerra

Negociações entre Ucrânia e Rússia acabam com acordo, mas para continuar a conversar sobre fim da guerra

Membros de delegações russas e ucranianas.
Foto: AFP
Mundo 28.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra

Negociações entre Ucrânia e Rússia acabam com acordo, mas para continuar a conversar sobre fim da guerra

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
Após horas de conversações na Bielorrússia - onde nenhum dos chefes de Estado dos dois países em conflito esteve presente – as duas delegações concordaram em encontrar-se de novo nos próximos dias, informa a BBC.

Após horas de conversações na Bielorrússia - onde nenhum dos chefes de Estado dos dois países em conflito esteve presente – as duas delegações concordaram em encontrar-se de novo nos próximos dias, informa a BBC.

Antes da reunião, e como pré-condição, o presidente ucraniano Zelensky pediu que as tropas russas depusessem as armas e assinou um pedido de adesão à União Europeia. Pedido esse que o Alto Representante para as Relações Externas da UE, Josep Borrell, já disse que não é um assunto para decidir enquanto dura a guerra: “Temos que nos preocupar com as próximas horas”, disse à saída de um Conselho de Ministros da Defesa.


Ucrânia assina pedido formal de adesão à União Europeia
Trata-se de um "momento histórico", afirma a página da presidência ucraniana.

As medidas adotadas pela União Europeia de apoio militar no valor de 450 milhões de euros são, disse, “mais um ponto de viragem”. Borrell referiu que este domingo, a UE, quebrou um dos seus tabus fundadores, quando decidiu por unanimidade entre os Estados-membros fornecer armamento à Ucrânia. “Porque até agora a União Europeia era uma união de paz, não uma união militar e não tinha autorização para fornecer armas a um país terceiro. Mas é o que estamos a fazer”.

Macron pede a Putin para continuar a ouvi-lo

Segundo um comunicado do Palácio do Eliseu, Emmanuel Macron falou longamente ao telefone com Putin e pediu-lhe que durante as negociações não houvesse ataques à Ucrânia; que deveria estabelecer-se imediatamente um cessar-fogo; e que não haveria ataques a civis, nem a estradas, que permaneceriam permanecer abertas e seguras. Segundo o Eliseu, Putin concordou com todos os três pedidos do chefe de Estado francês.


A visão de uma escola destruída como resultado de uma luta não muito longe do centro da cidade ucraniana de Kharkiv, localizada a cerca de 50 km da fronteira ucraniana-russa, a 28 de fevereiro de 2022.
Enquanto se negoceia cessar-fogo, russos matam 11 pessoas em bairro de Kharkiv
"Kharkiv. Um ataque impiedoso e sem sentido a um bairro residencial com mísseis! Cadáveres nas ruas", escreveu Anton Guerashenko, assessor do Ministério do Interior da Ucrânia.

Mas no terreno continuaram os bombardeamentos.

Macron também pediu que o presidente da Federação Russa garantisse que a lei humanitária internacional fosse respeitada e que as populações civis e os transportes de pessoas fosse protegido. Pediu ainda para voltar a falar com Putin “nos próximos dias para evitar uma escalada da situação”. 

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Presidente francês, Emmanuel Macron, exigiu hoje um cessar-fogo na Ucrânia ao seu homólogo russo, numa conversa telefónica em que Vladimir Putin acusou Kiev de "numerosos crimes de guerra".