Escolha as suas informações

Navalny. Representante diplomático da UE visita Rússia com críticas a Putin
Mundo 2 min. 06.02.2021

Navalny. Representante diplomático da UE visita Rússia com críticas a Putin

Navalny. Representante diplomático da UE visita Rússia com críticas a Putin

Foto: Vasily Maximov/European Commissi
Mundo 2 min. 06.02.2021

Navalny. Representante diplomático da UE visita Rússia com críticas a Putin

Moscovo respondeu ao porta-voz de nacionalidade espanhola recordando os presos independentistas condenados por Madrid.

Os canais diplomáticos devem manter-se abertos, não apenas para desarmar as crises e incidentes, mas também para fazer trocas diretas, transmitir mensagens firmes e francas, sobretudo porque as relações estão longe de ser satisfatórias", declarou, num comunicado.

A Europa condenou firmemente a decisão, esta semana, de um tribunal russo, de condenar a três anos de prisão o militante anticorrupção de 44 anos, e também a repressão contra os manifestantes pro-Navalny que deu origem à prisão de mais de 10.000 pessoas nas últimas semanas.

No entanto, apesar da indignação suscitada pela detenção de Navalny, a visita do Alto Representante da União Europeia para a Política Externa dividiu os estados-membros da União Europeia.

Moscovo anunciou a expulsão de um diplomata polaco, um alemão e um sueco, apenas algumas horas após o encontro de Borrell com o seu homólogo russo, Sergei Lavrov, para falar sobre as relações bilaterais.

A Rússia acusou os diplomatas de terem participado nos ajuntamentos ilegais de 23 de janeiro para apoio a Alexeï Navalny, mas a União Europeia negou todas as acusações.

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE) disse que irá dar conta do balanço da sua visita aos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 países membros a 22 de fevereiro, e que os dirigentes europeus irão discutir as relações tensas com Moscovo numa cimeira em março.

Os diplomatas da UE continuaram "em contacto" com os advogados de Navalny durante a visita de dois dias, indica ainda o comunicado, sem dar detalhes sobre aquela comunicação, nem abordar a questão de novas eventuais sanções a aplicar contra a Rússia.

Moscovo critica dois pesos e duas medidas

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, reagiu às acusações de Josep Borrell recordando os casos de brutalidade policial na Europa e a situação dos prisioneiros independentistas em Espanha, noticiou a Europa Press.

Depois das palavras do Alto Representante europeu, Lavrov referiu a situação dos prisioneiros independentistas como exemplo de "decisões judiciais de motivação política". O ministro russo salientou "que os líderes catalães pró-independência estão presos por organizarem um referendo, uma decisão que o sistema judicial espanhol não anulou apesar de os tribunais da Alemanha e da Bélgica terem decidido contra ela". 

"Face a isto, Espanha defendeu o seu sistema judicial e pediu para não duvidarem das suas decisões. Isto é o que queremos do Ocidente em termos de reciprocidade", defendeu.

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas