Escolha as suas informações

Navalny condenado a nove anos de prisão em "regime severo"
Mundo 2 min. 22.03.2022
Justiça

Navalny condenado a nove anos de prisão em "regime severo"

Alexei Navalny.
Justiça

Navalny condenado a nove anos de prisão em "regime severo"

Alexei Navalny.
Foto: AFP
Mundo 2 min. 22.03.2022
Justiça

Navalny condenado a nove anos de prisão em "regime severo"

Redação
Redação
O oposicionista russo Alexei Navalny foi condenado a nove anos de prisão por "fraude" e "falta de respeito a um magistrado". A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, exigiu "a libertação imediata" do opositor russo.

Os jornalistas da agência France Presse que acompanharam a leitura da sentença indicam que a juíza acrescentou à pena de nove anos de prisão mais um ano e meio de "liberdade sob vigilância" e o pagamento de 10 mil euros.

O oposicionista deve cumprir a pena num estabelecimento prisional de "regime severo", o que significa que as condições de detenção vão ser mais restritas. O ativista russo de 45 anos começou a ser julgado em meados de fevereiro numa sala de tribunal improvisada na cadeia onde se encontra, a cerca de 100 quilómetros de Moscovo.

Navalny foi acusado de se ter apropriado de milhões de rublos que tinham sido doados às organizações de combate à corrupção que fundou na Rússia, mas também foi condenado por ter faltado ao respeito do tribunal, num processo anterior. Navalny já se encontra preso desde janeiro de 2021.    

"Escárnio da justiça"

A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, contestou hoje a pena de prisão aplicada ao opositor russo. "Consternada com a notícia de que Alexei Navalny foi considerado culpado num novo julgamento fictício. Isto é um escárnio da justiça", escreveu no Twitter.

Depois de o tribunal russo ter anunciado esta condenação, a líder da assembleia europeia exigiu "a libertação imediata" do opositor russo. "Estamos ao seu lado e [ao lado] de todos os russos que se opõem à corrupção, ao despotismo e à guerra", adiantou ainda. 

O trabalho não termina aqui 

No Twitter, gerido pelos advogados de Navalny, o opositor já comentou a sentença. Numa longa declaração, dividida em 10 partes, Navalny comparou-se, em tom irónico ao personagem do filme "Interstellar".

 "O meu voo espacial está a demorar um pouco mais do que o esperado - a nave está presa num loop temporal. Ocorreu-me que o meu papel nesta saga é semelhante ao daquele tipo da Interstellar. Os personagens principais entram na estação, depois de descolarem do planeta, onde o tempo corre várias vezes mais rápido. E são saudados por um tipo de barba em roupão que diz: `Estou à vossa espera há 23 anos, 4 meses e 8 dias´. No entanto, este pensamento foi imediatamente descartado. Em primeiro lugar, eu não tenho barba nem roupão. E, em segundo lugar, é tudo um disparate. Os números não importam. É apenas um sinal por cima do meu beliche, só isso. E nem eu nem os meus camaradas vamos simplesmente ´esperar´", garantiu. 

Navalny anunciou que, mesmo preso, as ações da Fundação Anti-corrupção não vão parar, aliás, pelo contrário. Vai assumir um papel internacional e, para isso, vai contar com parte do dinheiro que lhe foi atribuido pelo Prémio Sakharov. "A parte do dinheiro do Prémio Sakharov que me foi atribuído pelo @Europarl_PT será a primeira contribuição para este fundo. Os cidadãos da UE, através dos seus representantes, deram-me este prémio para a luta contra a corrupção. Estou grato e estou a atribuir o dinheiro para continuar esta luta", continuou.

"Lutar contra a censura e trazer a verdade para as pessoas da Rússia continua a ser a minha prioridade. O Kremlin esmaga os meios de comunicação, nós criamos novos", escreveu o principal opositor de Vladimir Putin. 


*Com agência Lusa


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O opositor russo Alexei Navalny compareceu hoje em tribunal, acusado de ter violado um controlo judicial, um caso que o pode atirar para a prisão por vários anos, apesar da pressão ocidental e do movimento de protesto na Rússia.
Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram hoje o opositor russo Alexei Navalny à chegada a Moscovo, acusando-o de ter violado os termos de uma pena de prisão suspensa a que foi condenado em 2014.