Escolha as suas informações

Navalny acusa Portugal de receber subornos para naturalizar Roman Abramovich
Mundo 26.12.2021 Do nosso arquivo online
Oposição regime russo

Navalny acusa Portugal de receber subornos para naturalizar Roman Abramovich

O ativista anticorrupção russo Alexei Navalny, opositor político do Presidente Vladimir Putin.
Oposição regime russo

Navalny acusa Portugal de receber subornos para naturalizar Roman Abramovich

O ativista anticorrupção russo Alexei Navalny, opositor político do Presidente Vladimir Putin.
Foto: AFP
Mundo 26.12.2021 Do nosso arquivo online
Oposição regime russo

Navalny acusa Portugal de receber subornos para naturalizar Roman Abramovich

Redação
Redação
Alexei Navalny, opositor de Vladimir Putin, criticou o Estado português por, alegadamente, ter recebido subornos para atribuir a nacionalidade portuguesa a Roman Abramovich, o multimilionário dono do Chelsea.

Alexei Navalny apontou a mira para Portugal porque o país deu nacionalidade portuguesa ao magnata Roman Abramovich, dono do clube de futebol inglês Chelsea. "Finalmente, conseguiu encontrar um país onde pode pagar alguns subornos", acusou.

No Twitter, Navalny escreveu que "o Ocidente assusta-se com o ataque de Putin à Ucrânia, mas dá cidadania ao seu oligarca de confiança". Aludindo à mais recente excentricidade de Abramovich, que comprou um avião Boeing 787 no valor de 350 milhões de dólares, o opositor de Vladimir Putin escreveu que o multimilionário e o Governo russo "roubam ao orçamento" do país para "investirem dinheiro" em empresas ocidentais. "Os funcionários portugueses carregam malas com dinheiro. A economia norte-americana recebeu 350 milhões de dólares. Os apresentadores de televisão elogiam Putin pela sua luta contra a NATO enquanto espumam da boca. Um ciclo perfeito de hipocrisia e corrupção", disparou Navalny.

Roman Abramovich é cidadão português desde abril, ao abrigo das condições que a Lei da Nacionalidade oferece a descendentes de judeus sefarditas. As origens do magnata terão sido certificadas pela comunidade judaica portuguesa.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas