Escolha as suas informações

Multimilionário britânico que defendeu o Brexit vai viver no Mónaco

Multimilionário britânico que defendeu o Brexit vai viver no Mónaco

Foto: Reuters
Mundo 2 min. 10.08.2018

Multimilionário britânico que defendeu o Brexit vai viver no Mónaco

Perfil do mais bem sucedido industrial britânico do pós-guerra. Fortuna de Jim Ratcliffe está avaliada em 23,4 mil milhões de euros.

Defendeu com unhas e dentes a saída do Reino Unido em relação à União Europeia, argumentando que os britânicos passariam muito bem sem estar no grupo dos 28 países, mas, enquanto os políticos procuram uma saída para o processo que ficou decidido no referendo de 23 de junho de 2016, o multimilionário Jim Ratcliffe decidiu que não podia passar sem a Europa. Conclusão: o homem mais rico do Reino Unido, considerado "o mais bem sucedido industrial do pós-guerra" pelo jornal Sunday Times, vai viver para o principado do Mónaco, onde os residentes dispõem de um regime fiscal vantajoso.

A notícia é do jornal britânico The Independent, assinalando-se que "o fundador e CEO da petroquímica Ineos, uma das maiores do mundo, tem uma fortuna avaliada em 21 mil milhões de libras" (24,5 mil milhões de euros), segundo as contas deste ano feitas pelo Sunday Times. Armado cavaleiro pela rainha Isabel II recentemente, Ratcliffe deixou a sua opinião sobre o Brexit a esta última publicação: "Os britânicos são perfeitamente capazes de se governar a si próprios e não precisam que Bruxelas lhes dite regras". Além disso, o multimilionário acrescentou: "Não acredito no conceito de uns Estados Unidos da Europa, porque não me parece viável".

Conforme conta o Independent, a Ineos, que já teve sede na Suíça entre 2010 e 2014 para que fossem reduzidos os custos com impostos, vai manter-se em Londres, mas Jim Ratcliffe estará acompanhado no Mónaco por outros dois altos responsáveis da firma: Andy Currie e John Reece. 

De motorizada em África

Nascido a 18 de outubro de 1952 na área da grande Manchester, Jim Ratcliffe iria licenciar-se em Engenharia Química na Universidade de Birmingham (1974), estudos a que acrescentou um mestrado na London Business School seis anos depois quando já trabalhava na Esso, gigante da indústria petrolífera.

Desenvolveu atividade na Courtaulds, fabricante de produtos químicos, mas, a partir de 1989, iria entrar no universo dos fundos de investimento ao aderir à Advent International. Iria construir fortuna através da compra e venda de unidades industriais que as grandes empresas descartavam, tendo a estreia acontecido com um espaço que pertencera à BP, em Hythe (Inglaterra), numa sociedade com John Hollowood, a quem contratara para pesquisa de oportunidades de negócio. "Comecei os investimentos numa altura em que tinha de apostar todas as minhas posses em cada aquisição", afirmou em entrevista à London Business School. O sucesso desse primeiro passo levou-o a fazer inúmeras outras compras e vendas até que, em 1998, fundou a Ineos, a qual gera hoje perto de 60 mil milhões de dólares em vendas. À escala mundial, Ratcliffe detém 181 empresas em 22 países, sendo responsável por cerca de 18.600 postos de trabalho, quatro mil dos quais no Reino Unido. As atividades são tão diversificadas que incluem o fabrico de produtos de higiene, medicamentos, alimentação, mobiliário e telemóveis.

Adepto de aventuras que exijam intensa atividade física, Ratcliffe já participou em expedições aos dois Polos e numa viagem de motorizada durante três meses em território sul-africano. Vela e esqui são desportos a que o multimilionário costuma dedicar-se. Quando se mudar para o Mónaco terá, por certo, a companhia de muitos astros do desporto, também interessados em regimes fiscais vantajosos.  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.