Escolha as suas informações

Moscovo devolve a Kiev 210 corpos de soldados de Mariupol
Mundo 2 min. 08.06.2022
Guerra na Ucrânia

Moscovo devolve a Kiev 210 corpos de soldados de Mariupol

Mariupol
Guerra na Ucrânia

Moscovo devolve a Kiev 210 corpos de soldados de Mariupol

Mariupol
Foto: AFP
Mundo 2 min. 08.06.2022
Guerra na Ucrânia

Moscovo devolve a Kiev 210 corpos de soldados de Mariupol

Redação
Redação
Na maioria, foram soldados que defenderam o complexo siderúrgico de Azovstal, anunciou o Ministério da Defesa ucraniano.

Muitos dos que morreram após o cerco à siderurgia pertenciam ao regimento Azov, um grupo ultranacionalista que se juntou ao exército ucraniano, informou a agência de inteligência militar do Ministério da Defesa, através de um comunicado citado pela imprensa local.

"O processo de devolução dos corpos dos defensores mortos de Mariupol prossegue, com a ajuda dos esforços da sede de coordenação de tratamento de prisioneiros de guerra", referiram as mesmas fontes, de acordo com a agência de notícias Efe. Ainda segundo a nota, dos 210 corpos recuperados "a maioria são defensores heroicos de Azovstal".


Alemanha preparada para fortalecer presença militar nos países bálticos
A Alemanha lidera um grupo de combate multinacional da NATO na Lituânia.

A 2 de Junho, a Ucrânia e a Rússia efetuaram uma primeira transferência de corpos dos soldados mortos em combate. Nessa data, foram trocados 160 soldados de cada lado.

Mariupol, situada nas margens do Mar de Azov, na região pró-russa de Donetsk, esteve durante meses sitiada e alvo de contínuo bombardeamento, desde que Moscovo ordenou a invasão do país vizinho. A cidade, agora controlada pela Rússia, tinha uma população de pouco mais de meio milhão de habitantes antes da invasão, mas segundo as autoridades vivem aí atualmente menos de 100 mil pessoas.

Governador de Lugansk admite provável retirada de Severodonetsk  

"Provavelmente vai ser precisa uma retirada", declarou o governador Serguei Gaidai ao canal de televisão 1+1, numa altura em que a cidade está parcialmente sob o controlo da Rússia. 

Neste momento a situação militar é dinâmica e não é possível a confirmação independente de todas as informações que chegam da região.

Anteriormente, o mesmo responsável afirmava através da rede social Telegram que a​​​​​​​s forças ucranianas tinham conseguido conter as forças russas em algumas zonas de Severodonetsk, um ponto estratégico do leste da Ucrânia que pode permitir à Rússia o controlo de toda a região oriental do país. 

O governo da Ucrânia reconheceu nos últimos dias que a luta na cidade de Severodonetsk se trata "casa a casa" admitindo o avanço e a superioridade das tropas russas. 

O Kremlin informou que as tropas ucranianas foram "severamente dizimadas em Severodonetsk" e só resistem "entrincheiradas nas zonas industriais" da cidade. 

Banco Mundial aprova financiamento extra de 1,4 mil milhões de euros

O Banco Mundial aprovou na terça-feira um financiamento adicional de 1,4 mil milhões de euros para ajudar a Ucrânia a continuar a pagar os salários dos funcionários públicos. O presidente do Banco Mundial, David Malpass, afirmou que mais apoio está a ser "fornecido à Ucrânia face à guerra em andamento".


Portugal. Parlamento aprova suspensão do grupo de amizade com a Rússia
A suspensão das relações com os parlamentares da Rússia foi aprovada por unanimidade pelos deputados presentes.

No entanto, o executivo não tenha explicou se os novos fundos são um donativo ou um empréstimo.Com este novo financiamento, o Banco Mundial já disponibilizou cerca de 3,7 mil milhões de euros para apoiar a Ucrânia.

De acordo com as próprias estimativas do banco, a economia ucraniana deve encolher para metade este ano, como resultado da invasão russa.  

(Com agências)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas