Escolha as suas informações

Moscovo ameaça Google com sanções se não incluir a Crimeia como parte da Rússia

Moscovo ameaça Google com sanções se não incluir a Crimeia como parte da Rússia

Foto: Christoph Dernbach/dpa
Mundo 07.02.2019

Moscovo ameaça Google com sanções se não incluir a Crimeia como parte da Rússia

A Rússia ameaçou hoje a empresa multinacional norte-americana Google com sanções se não corrigir dentro de um mês os seus mapas, nos quais a península da Crimeia, anexada por Moscovo em 2014, aparece como território ucraniano.

Se a Google não corrigir o erro, "adotaremos as medidas mais severas contra a empresa contempladas pela legislação atual", indicou Vasili Pisariov, responsável da Comissão de Segurança e Luta contra a Corrupção da Câmara dos deputados da Rússia, à imprensa local.

Vasili Pisariov referiu que, no pior dos casos, a Câmara dos deputados irá ao Ministério Público para tomar medidas sob a forma de multas contra a empresa norte-americana por violar de forma flagrante a legislação russa.

"Existe uma responsabilidade pelo incumprimento da lei russa e uma responsabilidade penal pelos apelos para modificar a integridade territorial do país", salientou.

Vasili Pisariov reuniu-se na quinta-feira, na câmara baixa, com a diretora do Google na Rússia, Marina Zhunich, que foi convidada pelo presidente Câmara dos deputados, Vyacheslav Volodin.

"Por enquanto, supomos que não há má intenção ou razões políticas (...), vemos isso como um problema técnico. Vamos considerar que é um mal-entendido", sublinhou Pisariov, acrescentando que a diretora local da Google assegurou que já comunicou aos seus responsáveis na Califórnia a preocupação russa sobre o surgimento da Crimeia como um território ucraniano.

"[Marina Zhunich] disse que esta questão é uma prioridade e que no menor período de tempo a situação será corrigida e os mapas da Google e outros produtos da empresa refletirão tudo conforme exigido pela legislação: Crimeia e Sebastopol serão listados como território russo", explicou.

Nos últimos meses, a Google teve vários encontros com as autoridades russas e os reguladores dos meios de comunicação russos, que já a multaram por violar o regulamento que obriga os motores de busca a removerem ligações de 'sites' proibidos.

Segundo a imprensa russa, a empresa norte-americana já começou a remover ligações de 'sites' proibidos.