Escolha as suas informações

Moçambique. Cerca de 9.900 pessoas deslocadas de Palma, metade são crianças
Mundo 03.04.2021

Moçambique. Cerca de 9.900 pessoas deslocadas de Palma, metade são crianças

Moçambique. Cerca de 9.900 pessoas deslocadas de Palma, metade são crianças

Foto: AFP
Mundo 03.04.2021

Moçambique. Cerca de 9.900 pessoas deslocadas de Palma, metade são crianças

Lusa
Lusa
De acordo com o porta-voz das Nações Unidas, no terreno, o número de pessoas deslocadas após os ataques tem vindo a “aumentar consideravelmente nos últimos dias”.

Cerca de 9.900 pessoas, quase metade crianças, deslocadas de Palma devido à violência nesta vila de Cabo Delgado, em Moçambique, chegaram desde 24 de março aos bairros de Nangade, Mueda, Montepuez e Pemba, anunciaram hoje as Nações Unidas.

De acordo com o porta-voz em Moçambique do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), Saviano Abreu, o número de pessoas deslocadas após os ataques tem vindo a “aumentar consideravelmente nos últimos dias”.

Citando dados da Organização Internacional das Migrações (OIM) referentes às 15h de sexta-feira, indicou que quase 9.900 pessoas chegaram de Palma aos bairros de Nangade, Mueda, Montepuez e Pemba desde 24 de março.


ONU pede fim imediato da violência contra civis em Moçambique
Representantes do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediram ainda que todas as partes envolvidas no conflito em Moçambique garantam “o acesso seguro e desimpedido das organizações humanitárias” para o fornecimento da assistência.

“Temos informações de que milhares de pessoas estão deslocadas dentro do distrito de Palma e milhares mais estão em movimento através da floresta à procura de segurança, esperando-se que cheguem a diferentes locais nos próximos dias”, acrescentou aos jornalistas.

Saviano Abreu disse ainda que cerca de 45% dos deslocados são crianças.

A vila de Palma, cerca de 25 quilómetros do projeto de gás natural da multinacional Total, sofreu um ataque armado a 24 de março, que as autoridades moçambicanas dizem ter resultado na morte de dezenas de pessoas e na fuga de centenas.


Português ferido em ataques em Moçambique já foi transferido para Joanesburgo
Na sequência dos mais recentes ataques em Cabo Delgado, foi montada uma ponte área, entre Pemba e Maputo, para retirar 1.300 pessoas.

A violência está a provocar uma crise humanitária com quase 700 mil deslocados, segundo agências da ONU, e mais de duas mil mortes, segundo uma contabilidade feita pela Lusa.

Vários países têm oferecido apoio militar no terreno a Maputo para combater estes insurgentes, mas, até ao momento, ainda não existiu abertura para isso, embora haja relatos e testemunhos que apontam para a existência de empresas de segurança e de mercenários na zona.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.