Escolha as suas informações

Miss Tailândia afirma que "mulher deve ficar com o marido mesmo que já não o ame"
Mundo 2 min. 08.07.2019

Miss Tailândia afirma que "mulher deve ficar com o marido mesmo que já não o ame"

Miss Tailândia afirma que "mulher deve ficar com o marido mesmo que já não o ame"

Foto: DR
Mundo 2 min. 08.07.2019

Miss Tailândia afirma que "mulher deve ficar com o marido mesmo que já não o ame"

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
A resposta de Jennifer Paweensuda Drouin foi considerada muito machista, por internautas nas redes sociais.

Jennifer Paweensuda Drouin, de 25 anos, é a Miss Universo Tailândia 2019 e vai representar o país na conquista a Miss Universo, que terá lugar na Coreia do Sul. 

Apesar da vitória, o seu percurso no concurso tem sido alvo de críticas. As três concorrentes finais tiveram de responder à mesma pergunta: "Acha que uma mulher deve manter-se casada pelos seus filhos ou por obrigação, mesmo que já não ame o seu marido?"

A resposta de Jennifer surpreendeu algumas das pessoas que assistiam à final. "Acredito que a mulher deve manter-se com o marido, mesmo que não o ame, para que o filho tenha uma família completa. Devemos elogiar o sacrifício que uma mãe faz para que um filho possa viver numa família feliz e consiga crescer da melhor forma, amado e apoiado por uma família completa". 

Nas redes sociais, a reação às declarações de Drouin não se fizeram esperar. No Twitter, a resposta foi considerada "mega machista" mas, mesmo assim, não foi impedimento para a jovem ser coroada. 

Fahsai pode ser considerada uma veterana dos concursos de beleza, tendo em conta que compete desde 2013. Foi a segunda classificada a Miss Universo Tailândia e ganhou Miss Terra Tailândia, ambos em 2017. Nasceu em Montreal, Canadá, fruto de uma relação entre uma tailandesa e um canadiano. Frequentou a Universidade de Calgary antes de se mudar para a Tailândia, onde trabalhou como modelo. 

Indiferente às críticas, a Miss Universo Tailândia tem usado o seu perfil oficial do Instagram para mostrar detalhes do seu dia-a-dia como representante da beleza do país. 

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NA TAILÂNDIA

A polémica surge num momento em que a Tailândia ainda tem presente na memória a morte de Chorlada Tarawan, 38 anos. A tailandesa morreu em novembro do ano passado quando o marido lhe atirou ácido para a cara enquanto esta dormia. O homem de 50 anos foi preso pelas autoridades.

Chorlada tornou-se um símbolo do abuso constante que as mulheres sofrem no país asiático. Jadet Chaowilai, diretor da "Fundação para o Movimento Progressivo de Mulheres e Homens" disse que "a forma como ela foi abusada pelo marido e tratada no hospital mostra como nós lidamos com as vítimas de abuso. Toda a gente lhe falhou. Sobretudo, uma sociedade que ainda lida com a violência doméstica como se esta fosse um assunto particular em que as mulheres devem ficar caladas". 

A World Health Organization estima que uma em cada três mulheres em todo o mundo já tenha tido a experiência de violência física e/ou sexual por parte dos parceiros.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.