Escolha as suas informações

Ministro afasta comissário que ordenou a intervenção na noite da morte de Steve Caniço
Mundo 2 min. 14.09.2019

Ministro afasta comissário que ordenou a intervenção na noite da morte de Steve Caniço

Ministro afasta comissário que ordenou a intervenção na noite da morte de Steve Caniço

Mundo 2 min. 14.09.2019

Ministro afasta comissário que ordenou a intervenção na noite da morte de Steve Caniço

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
As medidas tomadas pelo responsável "carecem de discernimento", declarou Castaner.

Foi com surpresa que a França recebeu, na sexta feira, o anúncio do ministro do Interior francês. Numa conferência de imprensa sobre a morte do lusodescendente Steve Maia Caniço,  Christophe Castaner, comunicou a transferência do comissário responsável pela operação policial no festival de música de Nantes que pode ter causado a morte do lusodescendente de 24 anos. 

O jovem terá caído ao rio Loire, na madrugada de 22 de junho, para fugir à intervenção policial. Ele não sabia nadar.

“As medidas tomadas pelo comissário da divisão carecem de discernimento”, declarou o ministro referindo, no entanto, que a “operação policial tenha sido legítima”, disse Castaner que reuniu os jornalistas para a apresentação das conclusões de um novo relatório da  Inspeção Geral da Administração. Mas a investigação irá continuar.

AFP

Assim, anunciou, “enquanto se aguarda o resultado da investigação judicial”, o comissário de polícia será transferido para uma função sem responsabilidades de gestão de intervenções policiais”.

O ministro assegurou que as investigações continuaram para se apurar a verdade e que tem “total confiança na justiça”, mas que até agora nada prova que a intervenção policial tenha sido causa direta da morte do jovem.

Só que dois dias antes da conferência de imprensa, quarta-feira, o jornal francês ‘Canard Enchaîné’ publicou ter provas de que o telemóvel do lusodescendente Steve Maia Caniço, terá continuado a funcionar depois da hora divulgada pela polícia.

AFP

Segundo aquele jornal o telemóvel de Steve Maia Caniço estava ainda ativo às 04h33 (hora local), uma hora depois de as autoridades terem dito, no fim de julho, que encontraram atividade no telefone.

Para a família, associações e amigos o jovem morreu devido à "violência policial"que disparou contra o públicos balas de borracha e "gás lacrimogénico" às escuras, no recinto do festival.

O corpo do jovem foi encontrado no Loire mais de um mês depois do seu desparecimento.

“Não posso falar sobre a investigação em curso, mas recordo o que digo desde o final de Julho: a queda de Steve no Loire é coincidente com a intervenção da polícia”, disse a advogada da família, Cécile de Oliveira, à AFP.

AFP

Logo depois do sucedido 85 pessoas que estavam no festival apresentaram nos tribunais uma queixa colectiva, por violência voluntária e da polícia ter colocado em risco a vida das pessoas. 

  Os relatos dos amigos e outras pessoas que estavam na festa naquela noite dão conta que a intervenção da polícia gerou pânico e houve mesmo utilização de gás lacrimogéneo.  

AFP

A morte do lusodescendente tornou-se para muitos franceses um "símbolo" contra a violência policial em França e muitas têm sido as manifestações realizadas por todo o país.


Notícias relacionadas