Escolha as suas informações

Menina de oito anos raptada na região dos Vosges ainda não foi encontrada
Mundo 2 min. 14.04.2021

Menina de oito anos raptada na região dos Vosges ainda não foi encontrada

Menina de oito anos raptada na região dos Vosges ainda não foi encontrada

Foto: AFP
Mundo 2 min. 14.04.2021

Menina de oito anos raptada na região dos Vosges ainda não foi encontrada

Autoridades levantaram, entretanto, o alerta de rapto, mas continuam à procura do paradeiro da criança.

Uma menina de oito anos foi raptada por três homens esta terça-feira, na região dos Vosges e ainda não foi encontrada.

De acordo com a AFP, o alerta de rapto foi levantado durante a noite, mas "o perigo é persistente" para Mia Montemaggi, que ainda está por localizar, afirmou, esta quarta-feira, o Procurador de Epinal, Nicolas Heitz. 

"Infelizmente o perigo é persistente, ainda estamos ativamente à procura da criança", declarou à rádio RMC, acrescentando que apesar de o dispositivo de alerta de rapto ter sido levantado as buscas e a investigação prossegue. Por isso, garantiu que a mensagem continuará a ser difundida e o desaparecimento da menina divulgado. 

"Agora a investigação deve continuar, a mensagem é passada, as pessoas sabem como dar elementos e queremos que a investigação continue. Todos os meios de inquérito e investigação mais importantes são utilizados", acrescentou Nicolas Heitz. 

O alerta de rapto  para Mia Montemaggi, menina de 8 anos, morena, que foi levada por três homens, por volta das 11h30, foi desencadeado terça-feira, às 21h.   

Aplicado em França desde fevereiro de 2006, este sistema consiste em lançar um alerta geral em caso de rapto de uma criança menor para mobilizar a população na busca da criança e do seu raptor e só é ativado se vários critérios forem verificados: a comprovação do rapto e não um simples desaparecimento, a vítima deve ser menor, a sua integridade física ou vida poder estar em perigo, e permitir haver informações que permitam localizar a criança.  

  Até esta manhã não havia ainda elementos novos sobre o paradeiro da criança.   

Fotografia de Mia  Montemaggi, a criança raptada
Fotografia de Mia Montemaggi, a criança raptada
Foto: AFP


A criança encontrava-se em casa da avó, que foi designada como familiar responsável pelo juiz de menores, uma vez que a menina não está autorizada a estar sozinha com a mãe, Lola Montemaggi, uma mulher de "28 anos de idade, 1m70, cabelo muito fino, castanho claro, duas tatuagens + estrelas no interior de um pulso", descreve o texto do alerta de rapto. 

Mãe queria viver à margem da sociedade, diz Ministério Público

A mãe da menina não tinha a custódia da filha desde aneiro e queria viver "à margem da sociedade", recusando-se, por exemplo, a enviá-la à escola, explicou já esta quarta-feira, em conferência de imprensa, o procurador Nicolas Heitz, citado pela AFP.

Lola Montemaggi "adoptou uma postura preocupante perante o juiz das crianças a 11 de janeiro, disse estar doente, não queria que ninguém interferisse na sua vida ou na da sua filha, revelando uma posição de rejeição da vida em sociedade", detalhou o magistrado.

A mulher não respondeu a nenhuma citação judicial desde então e tinha feito "comentários suicidas" à filha, acrescentou  Nicolas Heitz. 

O procurador apelou a que qualquer pessoa que tenha informações sobre o paradeiro da menina entre em contacto com as autoridades, ligando para o número: 0 800 36 32 68.


 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.