Escolha as suas informações

"Marcha atrás". Tudo sobre o regresso das restrições aos países vizinhos
Mundo 4 min. 15.10.2020

"Marcha atrás". Tudo sobre o regresso das restrições aos países vizinhos

"Marcha atrás". Tudo sobre o regresso das restrições aos países vizinhos

Foto: AFP
Mundo 4 min. 15.10.2020

"Marcha atrás". Tudo sobre o regresso das restrições aos países vizinhos

Além da capital alemã, outras nove regiões francesas vão ter recolher obrigatório durante a noite. Os encontros voltaram a ter limite de participantes. Em Bruxelas, cafés e restaurantes vão continuar fechados, num altura em que a escalada do número de infeções pelo novo coronavírus volta a disparar os alarmes da Europa.

Apesar de o Luxemburgo já ter descartado o regresso a um novo confinamento, os países vizinhos voltaram a apertar as restrições para tentar conter a propagação do novo coronavírus, face ao crescente número de novos casos.

Com números recorde em relação à primeira vaga, Emmanuel Macron decidiu impôr um recolher obrigatório em nove regiões francesas. Em Berlim a ordem já vigora há praticamente uma semana. Antecipando um "outono difícil", o ministro da Saúde belga não descarta um novo lockdown. Saiba as restrições que vigoram atualmente nos países que fazem fronteira com o Grão-Ducado. 

Alemanha

Desde o último sábado todos os restaurantes, bares e postos de venda têm ordem para encerrar às 23h na capital alemã. A medida excepcional, que afeta todas as lojas, exceto farmácias e postos de gasolina estará em vigor até, pelo menos, 31 de outubro. A venda de álcool também está proibida a partir dessa hora. De agora em diante, os contactos sociais estão proibidos entre as 23h e as 6h. Mais de cinco pessoas juntas, mesmo ao ar livre, dá direito a punição. Fora deste horário, mantém-se o limite das 50. 

Alarmada com os sucessivos picos de novos casos de covid-19 diagnosticados, a chanceler alemã, decidiu no entanto, alargar um conjunto de restrições a ser cumpridas não só em Berlim, como em todas as regiões. 

O número de participantes em eventos privados será limitado, por exemplo, em regiões com mais de 35 novas infeções por 100 mil habitantes, durante sete dias. 

O uso de máscara será obrigatório onde quer que as pessoas estejam próximas umas das outras durante um certo período de tempo. Os encontros ficam limitados a 25 pessoas em estabelecimentos e 15 em salas privadas. Pessoas que chegam de países onde há altas taxas de contágio, como é o caso do Luxemburgo, precisam de fazer testes à covid ao desembarcar na Alemanha para deslocações superiores a 24 horas. 

Se o número de 50 novas infeções por 100 mil habitantes for ultrapassado, serão impostas regras ainda mais apertadas, tais como limitar as reuniões privadas a um máximo de dez pessoas de dois lares e, tal como foi decidido na capital, fechar restaurantes às 23 horas. 

França

Debaixo de um novo estado de emergência, França, diz que o reconfinamento regional não está fora de questão. Antes, naquilo que se pretende ser uma espécie de meio termo, nove regiões vão estar sujeitas a um recolher obrigatório já a partir do próximo sábado, 17 de outubro. 

O regime vai ser instaurado das 21h às 6h n região de Paris, Lille, Rouen, Saint-Etienne, Toulouse, Lyon, Grenoble, Aix-en-Provence e Montpellier. Os incumpridores arriscam uma multa de 150 euros. 

Tal como aconteceu na vizinha Bélgica, os bares e restaurantes localizados nas grandes cidades foram obrigados a fechar as portas. Encontros e reuniões estão limitadas a um máximo de 10 pessoas. Mesmo os casamentos e os funerais devem obedecer à mesma regra. 

Em todo o país, seja no trabalho, nos transportes ou em estabelecimentos fechados, o uso de máscara é obrigatório. Em algumas cidades como é o caso de Paris ou Metz, a proteção facial também é obrigatória ao ar livre. 

Bélgica  

Caso não consiga conter a propagação do novo coronavírus, a Bélgica pode voltar a decretar um período de isolamento obrigatório. A hipótese foi deixada em cima da mesa pelo ministro da Saúde belga. No mesmo dia, o líder do governo da Valónia, Gilles Mahieu, reconheceu também estar a equacionar um regresso à quarentena. 

Além de determinar o encerramento dos bares e cafés de toda a região de Bruxelas por um prazo de um mês, a Bélgica decidiu alargar a todo o território a proibição de encontros com mais de três pessoas, quando a distância de segurança não possa ser salvaguardada. 

É proibido comer em bares de rua. Apesar de ter voltado a permitir assistência nos estádios, o governo central decidiu fazer marcha atrás na medida que marcou o desconfinamento, no arranque de setembro. Os adeptos podem continuar a dirigir-se aos estádios, mas apenas em "pequeno número". 

Na semana passada, o país registou um aumento de 79% dos casos de infeção. Além de Bruxelas, também a região do Luxemburgo e Brabante-Valónia  decretaram toque de recolher por 15 dias, a partir de 14 de outubro, da 1h às 6h. Todas as deslocações não essenciais ficam proibidas nesse horário. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas