Escolha as suas informações

Manifestantes no Líbano cantam Baby Shark para acalmar criança
Mundo 22.10.2019

Manifestantes no Líbano cantam Baby Shark para acalmar criança

Manifestantes no Líbano cantam Baby Shark para acalmar criança

Foto: AFP
Mundo 22.10.2019

Manifestantes no Líbano cantam Baby Shark para acalmar criança

Com a tensão cada vez mais ao rubro em Beirute, os manifestantes que tinham cercado o carro da mãe do pequeno Robin decidiram cantar a famosa música infantil para acalmar a criança. [Com vídeo]

A tensão que se vive no Líbano depois de dias de violentos protestos contra o governo teve um episódio caricato que se tornou viral nas redes sociais. Eliane Jabbour conduzia pelo zona de Baabda, no sul de Beirute, quando uma multidão de manifestantes cercou o carro e assustou o seu filho de apenas 15 meses.

“Eu disse-lhes: eu tenho um bebé, não façam muito barulho'", revelou à CNN sobre o inusitado encontro com a gente que protestava no sábado à noite. Então, os manifestantes começaram a cantar "Baby Shark", a música que se tornou um verdadeiro hino para muitas crianças no mundo inteiro.

"Foi espontâneo", afirmou Jabbour à televisão norte-americana.  "Ele gosta dessa música. Ouve muitas vezes em casa e ri”. A mãe do menino Robin Haddad publicou o vídeo no Facebook que se tornou tão viral que o marido acabou por ver as imagens antes que ela lhe pudesse contar o sucedido.

Estes protestos espontâneos, em massa, são as maiores manifestações do Líbano em cinco anos, e estenderam-se além de Beirute. Os manifestantes quiseram demonstrar a "raiva crescente contra uma classe dominante que dividiu o poder entre si e acumulou riquezas durante décadas, mas pouco fez para regenerar uma economia em ruínas e deixou as infraestruturas degradadas".

Os distúrbios surgiram após o governo propor novos impostos, como parte de medidas de austeridade, para fazer face a uma crescente crise económica.

O país atravessa uma crise económica sem precedentes, quando a dívida do país ascende a mais de 86 mil milhões de dólares (77 mil milhões de euros), 150% do Produto Interno Bruto (PIB).

O detonador destes protestos foi a decisão do Governo de impor novos impostos, no quadro do seu programa de austeridade, taxando, por exemplo, as chamadas e mensagens através da aplicação Whatsapp. Casos de corrupção e de má gestão governamental intensificaram os protestos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas