Escolha as suas informações

Mais de 4,8 milhões de ucranianos fugiram, 2,8 milhões para fora do país
Mundo 14.03.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Mais de 4,8 milhões de ucranianos fugiram, 2,8 milhões para fora do país

A crise dos refugiados da Ucrânia é a pior das que a Europa viveu desde o fim da Segunda Guerra Mundial.
Guerra na Ucrânia

Mais de 4,8 milhões de ucranianos fugiram, 2,8 milhões para fora do país

A crise dos refugiados da Ucrânia é a pior das que a Europa viveu desde o fim da Segunda Guerra Mundial.
Foto: AFP
Mundo 14.03.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Mais de 4,8 milhões de ucranianos fugiram, 2,8 milhões para fora do país

Lusa
Lusa
Mais de 4,8 milhões de ucranianos fugiram das suas casas desde que a Rússia invadiu o país, a 24 de fevereiro, tendo 2,8 milhões deixado o país, avançou esta segunda-feira o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR).

Dos quase três milhões de refugiados ucranianos, 60% (1,7 milhões) foram para a Polónia, 255 mil chegaram à Hungria, 204.000 à Eslováquia, 131 mil à Rússia, 106 mil à Moldova, 84 mil à Roménia e 1.200 à Bielorrússia, de acordo com a informação atualizada diariamente pelo ACNUR.

Mesmo países europeus sem fronteiras com a Ucrânia já abrigam muitos refugiados em fuga da guerra, cerca de 304 mil pessoas.


Mulher despede-se de soldado ucraniano, antes de fugir do país.
França recebeu mais de 10 mil refugiados da Ucrânia
O país vizinho do Luxemburgo estima que número aumente para mais de 100 mil pessoas que fogem da guerra na Ucrânia.

Por outro lado, sublinhou o ACNUR, é estimado que o número de deslocados internos na Ucrânia devido à guerra já alcance os dois milhões de pessoas.

A agência das Nações Unidas prevê que, se o conflito armado continuar, o número de refugiados pode ultrapassar quatro milhões e o número de deslocados internos pode chegar aos 6,7 milhões.

A crise dos refugiados da Ucrânia é a pior das que a Europa viveu desde o fim da Segunda Guerra Mundial, e uma das mais graves da atualidade, numa lista que conta também com grandes êxodos em países como a Venezuela (mais de seis milhões de pessoas) ou a Síria (6,8 milhões).


Fronteira entre a Roménia e a Ucrânia.
Cerca de 700 pessoas do Luxemburgo querem acolher refugiados da Ucrânia
As pessoas que se voluntariaram estão a ser contactadas uma a uma. Um processo moroso, mas essencial, uma vez que as condições de acolhimento têm de estar garantidas.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 564 mortos e mais de 982 feridos entre a população civil, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas