Escolha as suas informações

Mais de 16 milhões de casos em todo o mundo desde início da pandemia
Mundo 26.07.2020

Mais de 16 milhões de casos em todo o mundo desde início da pandemia

Mais de 16 milhões de casos em todo o mundo desde início da pandemia

Foto: AFP
Mundo 26.07.2020

Mais de 16 milhões de casos em todo o mundo desde início da pandemia

Lusa
Lusa
Juntos, Estados Unidos e América Latina e Caraíbas representam mais de metade das infeções mundiais.

Mais de 16 milhões de casos do novo coronavírus foram contabilizados a nível mundial desde o início da pandemia, de acordo com um balanço efectuado hoje pela pela agência de notícias France-Presse (AFP).

Segundo dados oficiais da AFP, até às 06:10 de hoje foram comunicados 16.050.223 casos de covid-19 e 645.184 mortes a nível mundial.

Os Estados Unidos continuam a ser o país mais afetado do mundo, com 4.178.021 casos, incluindo 146.460 mortes, enquanto a América Latina e Caraíbas registaram 4.328.915 casos e 182.501 mortes desde o início da pandemia.

Juntos, Estados Unidos e América Latina e Caraíbas representam mais de metade das infeções mundiais.

Na Europa, desde o início da pandemia, registaram-se 3.052.108 casos e 207.734 mortes.


Cientista chefe da OMS afirma que o mundo está longe de imunidade de grupo
Soumya Swaminathan indicou que 50 a 60% da população terá que ter anticorpos para se atingir imunidade de grupo, mas outros especialistas indicam que esse número terá que ser ainda maior, entre 70 e 80%.

O ritmo da pandemia continua a acelerar em todo o mundo, com mais de 5 milhões de novos casos detetados desde 01 de julho, o que representa mais de um terço do total de casos de covid-19 contabilizados desde o início da epidemia.

O número de infeções poderá no entanto refletir apenas parte do total real de casos, já que muitos países não têm recursos suficientes para realizar campanhas de testes extensivas.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas