Escolha as suas informações

Maior cidade do Brasil cancela festa de Ano Novo devido à variante Omicron
Mundo 2 min. 03.12.2021
Covid-19

Maior cidade do Brasil cancela festa de Ano Novo devido à variante Omicron

Covid-19

Maior cidade do Brasil cancela festa de Ano Novo devido à variante Omicron

Mundo 2 min. 03.12.2021
Covid-19

Maior cidade do Brasil cancela festa de Ano Novo devido à variante Omicron

Lusa
Lusa
Tradicional festa de 'Réveillon' costuma reunir cerca de dois milhões de pessoas na icónica Avenida Paulista, em São Paulo.

São Paulo, a cidade mais populosa do Brasil, anunciou na quinta-feira o cancelamento da tradicional festa de Ano Novo devido à crescente preocupação com a variante Omicron do coronavírus no país, que já tem pelo menos três casos detetados.

Conforme explicou o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, que está em Nova Iorque em negócios, a medida segue a orientação da comissão científica criada para o combate ao novo coronavírus, que apontou a necessidade de cautela diante da situação epidemiológica da cidade.

"O que pesou muito foi a questão da nova variante Omicron. Lembro que, quando a variante Delta foi apresentada, a cidade de São Paulo saiu na frente e impôs barreiras sanitárias" que minimizaram seus impactos, disse Nunes, numa conferência de imprensa. 

O prefeito da câmara de São Paulo ressaltou que a cidade tem indicadores positivos de desaceleração da pandemia de covid-19 e que nada de grave aconteceu, mas que o cenário exige cautela e monitorização. "É importante ressaltar que [o cancelamento] não é porque algo grave foi detetado, mas é preciso fazer um monitoramento e o prazo seria muito curto", completou.

A maior cidade do Brasil e da América do Sul, com cerca de 12 milhões de habitantes, junta-se assim a pelo menos mais 15 das 27 capitais brasileiras que cancelaram suas festas de fim de ano para evitar uma nova vaga da pandemia de covid-19. Esta semana, autoridades sanitárias identificaram os três primeiros casos no Brasil da estirpe Omicron do vírus SARS-CoV-2, causador da covid-19.

Máscaras continuam obrigatórias em locais abertos após 11 de dezembro

Além do cancelamento da tradicional festa de 'Réveillon', que costuma reunir cerca de dois milhões de pessoas na icónica Avenida Paulista, o governador do estado de São Paulo, João Doria, anunciou a manutenção do uso de máscaras, cujo obrigatoriedade em locais abertos seria suspensa em 11 de dezembro.  

A medida também atende às recomendações do comité científico criado no ano passado para acompanhar a evolução da pandemia no estado e auxiliar na tomada de decisões. "Todos os números mostram que a pandemia está diminuindo em São Paulo, mas vamos optar pela cautela. Nosso maior compromisso é com a saúde da população", disse Dória, nas redes sociais.

Com cerca de 213 milhões de habitantes, 615 mil mortos e 22 milhões de infetados, o Brasil é em termos absolutos o segundo país do mundo mais afetado pelo covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos. Porém, graças à aceleração da taxa de vacinação no país, onde 66% da população já tem o calendário completo, a crise de saúde tem apresentado uma tendência de queda significativa desde junho passado. 

A covid-19 provocou pelo menos 5.223.072 mortes em todo o mundo, entre mais de 262,93 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas