Escolha as suas informações

Maduro rejeita deixar a presidência da Venezuela
Mundo 23.01.2019

Maduro rejeita deixar a presidência da Venezuela

Maduro rejeita deixar a presidência da Venezuela

Foto: Federico Parra/AFP
Mundo 23.01.2019

Maduro rejeita deixar a presidência da Venezuela

Chefe de Estado falou aos venezuelanos a partir da varanda do palácio presidencial e defendeu a sua legitimidade no cargo.

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, dirigiu-se aos venezuelanos a partir da varanda do palácio presidencial e, sob aplausos da multidão que acompanhava as suas palavras, defendeu a sua legitimidade no cargo. "Aqui, neste palácio presidencial, reafirmo que iremos continuar porque essa foi a vontade do povo manifestada nas eleições", disse.

Acusando os Estados Unidos de ingerência nos destinos do país, Maduro enumerou intervenções dos EUA em vários países do continente americano ao longo do século XX e acentuou: "Não queremos voltar ao século passado, o dos golpes de Estado e de ingerências imperialistas. O povo venezuelano diz não ao golpismo, não ao imperialismo. Aqui vamos ao combate. Lutar até à vitória e mais além".

"Chamo os poderes de Estado a cerrarem fileiras em defesa da democracia venezuelana. Peço às Forças Armadas máxima lealdade, máxima união, máxima disciplina", afirmou.

Maduro disse mesmo que irá expulsar diplomatas dos Estados Unidos e cortar relações com o país de Trump, além de garantir que recebera um telefonema de apoio do Presidente da Turquia.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

EUA pressionam Portugal e Espanha a ajudarem mais a correr com Maduro
O delegado dos Estados Unidos para a Venezuela, Elliott Abrams, veio a Portugal na terça-feira passada, para reunir-se com Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, e discutir o agravamento da situação naquele país latino-americano, informou numa mesa-redonda com jornalistas realizada na embaixada norte-americana, em Lisboa.
Governo da Venezuela afirma estar a dialogar com os EUA
“Fizemos duas reuniões, das quais não posso adiantar detalhes porque devo respeitar a confidencialidade das mesmas, mas foram reuniões em que nos escutámos”, disse o ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, em declarações à estação de televisão estatal Telesur.