Escolha as suas informações

Maddie foi "morta em Portugal e não na Alemanha" diz procurador alemão
Mundo 5 2 min. 16.05.2021

Maddie foi "morta em Portugal e não na Alemanha" diz procurador alemão

Maddie foi "morta em Portugal e não na Alemanha" diz procurador alemão

Mundo 5 2 min. 16.05.2021

Maddie foi "morta em Portugal e não na Alemanha" diz procurador alemão

Redação
Redação
As suspeitas da morte da menina que teria 18 anos agora, continuam a recair sobre Christian Brueckner, que está preso. O procurador acredita que o caso vai ser resolvido.

A polícia alemã acredita ter feito mais um avanço no caso do desaparecimento de Madeleine McCann na Praia da Luz, em 2007. De acordo com Hans Christian Wolters, o procurador alemão encarregue do caso, a menina foi assassinada em Portugal por Christian Brueckner, não tendo sido levada por este agressor sexual alemão para a sua terra natal, como inicialmente pensavam as autoridades.

A nova pista foi contada em exclusivo ao jornal britânico Mirror por este procurador que publica a notícia na edição deste domingo.


Luxemburgo. Tribunal Europeu rejeita pedido de liberdade do principal suspeito do caso Maddie
Além do caso Maddie, o alemão está também a ser investigado por agressão sexual a uma menina de 10 anos na região do Algarve, em abril de 2007, e por outros casos ainda não solucionados.

 Quando questionado pelo jornalista do Mirror onde a menina teria sido morta, o procurador alemão respondeu: "Em Portugal. Estou otimista que vamos resolver este caso".  Segundo o Mirror, as autoridades alemãs esperam poder acusar  Brueckner, este ano pela morte da menina inglesa.

Christian Brueckner está preso.
Christian Brueckner está preso.
Foto: AFP

 Hans Christian Wolters declara que “evidências concretas” vão provar que foi este agressor sexual que matou Maddie, que na altura tinha 3 anos de idade.  Desde junho de 2020 que a polícia tem Brueckner como o principal suspeito. 

No ano passado a polícia realizou buscas num terreno com casa abandonada em Hanover, terra natal do suspeito seguindo uma pista ligada ao desaparecimento de Maddie e de outra criança.

 Christian Brueckner, de 44 anos, encontra-se atualmente a cumprir uma pena de prisão por violação de uma norte-americana de 72 anos, no Algarve, em 2005, dois anos antes do desaparecimento de menina inglesa. Durante este período o alemão praticamente vivia nesta região portuguesa. Até à data sempre se recusou a dar detalhes à polícia sobre Madeleine McCann. O advogado de Brueckner diz que ele nada tem a ver com o caso Maddie.

 Além do caso Maddie, o alemão está também a ser investigado por agressão sexual a uma menina de 10 anos na região do Algarve, em abril de 2007, e por outros casos ainda não solucionados.  

Foi a 3 de maio de 2007, dias antes do seu aniversário que Maddie desapareceu da casa alugada pelos pais na Praia da Luz, onde dormia com os irmãos gémeos, enquanto os pais e os amigos jantavam no restaurante do aldeamento. Nunca mais foi encontrada. 

Pais não perdem a esperança

Os seus pais, Kate e Gerry nunca deixaram de a procurar e no passado dia 12 de maio, data em que Madeleine celebraria 18 anos publicaram uma mensagem à filha, na página da conta da campanha Find Madeleine, no Facebook, manifestando o seu amor por ela, dizendo que continuam à sua espera e que nunca irão desistir dela.  


Maddie. Investigadores alemães afirmam ter provas de que menina está morta
Os investigadores da polícia alemã "têm provas” de que a menina britânica Madeleine McCann, desaparecida em 2007 em Portugal, está morta, disse esta quarta-feira um porta-voz da Procuradoria de Brunswick, na Alemanha.

 "Nós agarramo-nos à esperança, por menor que seja, de que vamos ver Madeleine novamente. Como já dissemos repetidamente, precisamos de saber o que aconteceu com a nossa adorável filha, custe o que custar. Estamos muito gratos à polícia pelo seu esforço contínuo", dizem os pais noutra mensagem no mesmo dia, e na mesma página.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os pais de Madeleine McCann manifestaram esta quarta-feira a esperança de encontrar a filha desaparecida em Portugal, “descobrir a verdade e levar os responsáveis à justiça”, na sequência de um apelo público da polícia britânica sobre um novo suspeito na investigação.