Escolha as suas informações

Macron tenta "último esforço possível e necessário" para evitar conflito na Ucrânia
Mundo 20.02.2022
Ucrânia

Macron tenta "último esforço possível e necessário" para evitar conflito na Ucrânia

Ucrânia

Macron tenta "último esforço possível e necessário" para evitar conflito na Ucrânia

Foto: AFP
Mundo 20.02.2022
Ucrânia

Macron tenta "último esforço possível e necessário" para evitar conflito na Ucrânia

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
O presidente francês esteve ao telefone com o presidente russo, Vladimir Putin, esta manhã, mais de uma hora e de seguida conversou, também por telefone, com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

O presidente francês Emmanuel Macron e o Presidente russo Vladimir Putin falaram, esta manhã, por telefone durante 1h45, informou o Palácio do Eliseu em comunicado. 

A tensão entre Rússia e Ucrânia e Ocidente continua a escalar, com os conflitos a reacenderem-se no leste ucraniano entre soldados e separatistas pró-russos e os países da NATO e EUA a avançarem com a possibilidade de uma invasão russa a qualquer momento. Por isso, esta conversa entre os líderes francês e russo é vista pelo Eliseu como "o último esforço possível e necessário para evitar um grande conflito na Ucrânia", segundo noticia a AFP.


Governo pede a portugueses para abandonarem a Ucrânia "enquanto o podem fazer pelas vias normais"
Além de Portugal, outros países, como a Alemanha e a França, também pediram aos seus cidadãos na Ucrânia para que deixem o território.

Este apelo da França, país que preside atualmente à União Europeia, surge na sequência dos confrontos na linha da frente no leste da Ucrânia, onde os separatistas pró-russos controlam parte de Donbass desde 2014.

Por outro lado, a Bielorrússia anunciou que os exercícios militares conjuntos com a Rússia no seu território, que deveriam terminar no domingo, continuariam devido à escalada das tensões na vizinha Ucrânia. 

Neste contexto de extrema volatilidade, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky apelou no sábado aos EUA e à NATO para pararem com a sua política de "apaziguamento" da Rússia, ao mesmo tempo que disse estar disposto a encontrar-se com Putin.

O chefe de Estado ucraniano garantiu ao seu homólogo francês, Emmanuel Macron, que "não retaliará" contra as "provocações" russas no leste da Ucrânia e que permanecerá disponível para o "diálogo" com Moscovo.


Alemanha e França aconselham os seus cidadãos a sair da Ucrânia
Face ao recrudescimento de confrontos entre tropas ucranianas e separatistas pró-russos no leste do país, os dois países recomendam a saída urgente dos seus cidadãos.

"Disse que não retaliará contra provocações ao longo da linha de contacto" e "confiou-lhe a tarefa de informar Vladimir Putin sobre a disponibilidade da Ucrânia para o diálogo", revelou a presidência francesa, no final de uma reunião de quase uma hora entre os dois chefes de Estado, citada pela Lusa. 

Emmanuel Macron voltou a falar por telefone com o seu homólogo ucraniano este domingo, depois da conversa com Putin.

 Com agências

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas