Escolha as suas informações

Macron e Le Pen disputam segunda volta das presidenciais francesas
Mundo 10.04.2022
Eleições

Macron e Le Pen disputam segunda volta das presidenciais francesas

Os candidatos Emmanuel Macron e Marine Le Pen vão defrontar-se na segunda volta das eleições presidenciais em França.
Eleições

Macron e Le Pen disputam segunda volta das presidenciais francesas

Os candidatos Emmanuel Macron e Marine Le Pen vão defrontar-se na segunda volta das eleições presidenciais em França.
Foto: AFP
Mundo 10.04.2022
Eleições

Macron e Le Pen disputam segunda volta das presidenciais francesas

Lusa
Lusa
Os candidatos Emmanuel Macron e Marine Le Pen vão defrontar-se na segunda volta das eleições presidenciais em França, no dia 24 de abril, segundo as primeiras sondagens.

De acordo com sondagens à boca das urnas, o Presidente francês cessante, Emmanuel Macron, e a candidata da União Nacional (extrema-direita), Marine Le Pen, foram os dois candidatos mais votados com entre 28,6 e 29,7% e entre 23,5 et 24,7%, respetivamente.

As estimativas dos institutos Opinionway, Ifop e Harris indicam ainda que o candidato da esquerda radical Jean-Luc Mélenchon ficou em terceiro lugar nesta primeira volta com entre 19,8% e 20,5% dos votos.

A abstenção terá sido alta, entre 26,2% e 29,1%, de acordo com duas das estimativas. Em 2017, foi de 22,2% na primeira volta das presidenciais.

Cerca de 48,7 milhões de eleitores franceses foram este domingo chamados às urnas para a primeira volta das eleições presidenciais, à qual se apresentaram 12 candidatos.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os brasileiros do Grão-Ducado deram 42,9% dos votos ao candidato da extrema-direita brasileira. Fernando Haddad, do PT, que vai disputar a segunda volta no dia 28 de outubro, apenas teve 9,3% dos votos dos eleitores brasileiros que votaram no Luxemburgo.
O candidato liberal à presidência francesa Emmanuel Macron foi o candidato mais votado pelos franceses residentes no Luxemburgo, com o independente a obter 41,5% dos votos.