Escolha as suas informações

Luxleaks: Schulz quer ouvir Juncker em comissão de inquérito
Mundo 30.01.2015

Luxleaks: Schulz quer ouvir Juncker em comissão de inquérito

Matin Schulz, à esquerda, quer ouvir Juncker em comissão de inquérito

Luxleaks: Schulz quer ouvir Juncker em comissão de inquérito

Matin Schulz, à esquerda, quer ouvir Juncker em comissão de inquérito
Foto: Reuters
Mundo 30.01.2015

Luxleaks: Schulz quer ouvir Juncker em comissão de inquérito

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, quer ouvir o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em comissão de inquérito sobre o caso “Luxemburgo Leaks”.

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, quer ouvir o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em comissão de inquérito sobre o caso “Luxemburgo Leaks”.

Em entrevista ao jornal alemão Der Spiegel, Martin Schulz fez saber que o objectivo é esclarecer que subsídios ou incentivos fiscais foram oferecidos no Luxemburgo e quem esteve envolvido no esquema, com o objectivo de tomar medidas mais eficazes no combate à fraude e evasão fiscal.

A comissão de inquérito deverá ser constituída a 5 de Fevereiro e aprovada no Parlamento no dia 10 do mesmo mês.

O caso "Luxemburgo Leaks" envolve 340 multinacionais que negociaram acordos secretos com o Governo luxemburguês para fugir aos impostos. Entre as empresas está a Apple, a Amazon, a Ikea, Skype, Walt Disney, Invista a Pepsi.

O actual presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que dirigia o Governo luxemburguês na época dos acontecimentos continua no epicentro do caso, que poderá ainda pôr em causa a lealdade dos próprios membros da bancada parlamentar de Juncker, no dia 10 de Feveriero, altura da votação da comissão de inquérito.

Recorde-se que os acordos, firmados entre 2002 e 2010, representam milhares de milhões de euros em receitas fiscais perdidas pelos Estados onde as empresas reportam os seus lucros.


Notícias relacionadas