Escolha as suas informações

Luxemburgo e Portugal fora da "lista vermelha" do Reino Unido
Mundo 2 min. 23.04.2021

Luxemburgo e Portugal fora da "lista vermelha" do Reino Unido

Luxemburgo e Portugal fora da "lista vermelha" do Reino Unido

Foto: dpa-tmn
Mundo 2 min. 23.04.2021

Luxemburgo e Portugal fora da "lista vermelha" do Reino Unido

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Viajantes dos dois estados já podem entrar no país, mas viagens não essenciais ainda se mantêm restringidas. Brasil, Angola, Moçambique e Cabo Verde estão no conjunto dos que têm entrada proibida.

Nem Luxemburgo, nem Portugal aparecem na "lista vermelha" do reino Unido, atualizada esta sexta-feira, 23 de abril. Os dois estados já não figuram no grupo onde vão sendo colocados e retirados os países cujos viajantes não estão autorizados a entrar em território britânico - salvo algumas exceções -, devido à situação epidemiológica nos seus locais de origem.

Por outro lado, são vários os países de expressão portuguesa que atualmente fazem parte dessa lista. A entrada, no Reino Unido, de cidadãos de Angola, Brasil, Cabo Verde e Moçambique está vetada até nova ordem, de acordo com a informação disponibilizada no site oficial.


Bruxelas insta países a manterem limitação a chegadas não essenciais do Brasil
A posição de Bruxelas surge numa altura em que a variante brasileira se continua a propagar rapidamente pelo mundo e dias depois de uma outra possível estirpe do vírus ter sido descoberta na cidade brasileira de Belo Horizonte por cientistas locais.

O mesmo site refere que a quem tenha estado ou passado por algum dos países da "lista vermelha", nos 10 dias anteriores à viagem, "ser-lhe-á recusada a entrada" no território britânico. "Se for cidadão britânico ou irlandês, ou se tiver direitos de residência no Reino Unido, poderá entrar, mas deverá ficar em quarentena num hotel aprovado pelo Governo, durante 10 dias", refere o mesmo site.

Recorde-se que apenas estão autorizadas viagens essenciais para o Reino Unido, mesmo entre os países que não estão na "lista vermelha".

Índia na lista após detetados mais de 100 casos da nova variante

Na segunda-feira, o Executivo de Boris Johnson anunciou que a Índia iria ser colocada na lista, apesar das relações estreitas entre o país e o Reino Unido, devido à nova variante identificada no gigante asiático e que está a preocupar cientistas e autoridades mundiais.


Covid-19. Variante "indiana" detectada pela primeira vez na Bélgica
Ao todo, 20 estudantes indianos testaram positivo para a nova variante e foram colocados em quarentena.

O Reino Unido justifica ter acrescentado a Índia à 'lista vermelha' para se "proteger contra uma nova variante do coronavírus e contra outras variantes existentes", numa altura em que já foi detetada mais de uma centena de casos,  em solo britânico, que se acredita estarem associados à variante indiana.

"A situação na Índia deteriorou-se com um aumento extremamente rápido dos casos detetados ao longo do mês de abril, e que está a acelerar (...) Apesar das atuais medidas, existe um elevado volume de viagens entre a Índia e o Reino Unido, e já detetamos 103 casos da variante sob investigação no Reino Unido", remata a informação oficial.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas