Escolha as suas informações

Lusofonia: Plataforma digital “Português mais perto” vai ensinar filhos dos emigrantes
Mundo 14.01.2017

Lusofonia: Plataforma digital “Português mais perto” vai ensinar filhos dos emigrantes

José Luís Carneiro

Lusofonia: Plataforma digital “Português mais perto” vai ensinar filhos dos emigrantes

José Luís Carneiro
Foto: Lusa
Mundo 14.01.2017

Lusofonia: Plataforma digital “Português mais perto” vai ensinar filhos dos emigrantes

Uma nova plataforma digital de ensino da língua portuguesa, destinada aos filhos de emigrantes, vai ser lançada em fevereiro pelo instituto Camões.

Uma nova plataforma digital de ensino da língua portuguesa, destinada aos filhos de emigrantes, vai ser lançada em fevereiro pelo instituto Camões, indicou hoje o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Denominada "Português Mais Perto", a plataforma é a resposta a um aumento de famílias residentes no exterior e que poderão assim "aprender português em casa, com acompanhamento e certificação do Instituto Camões.

Segundo José Luís Carneiro, esta plataforma vai permitir que o português seja aprendido e ensinado por via eletrónica como língua materna e como língua de herança.

"Vai ter duas modalidades: ou de autonomia total, com o apoio dos pais, ou de tutoria, que terá a supervisão do instituto Camões", adiantou.

José Luís Carneiro falava na segunda edição dos "Diálogos com a Comunidade" que se realizou hoje na embaixada de Portugal em Londres, onde se abordaram, além de temas relacionados com o serviço consular, questões sociais, o impacto do 'Brexit" e o ensino da língua portuguesa no Reino Unido.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Lição n°4: Há 2.781 alunos inscritos nas aulas de português
Há 2.781 alunos inscritos nas aulas de Português no Luxemburgo para o ano lectivo 2016/2017, 1.536 no ensino integrado (na escola pública luxemburguesa) e 1.245 no ensino paralelo, segundo dados avançados ao CONTACTO por Joaquim Prazeres, responsável pela Coordenação do Ensino do Portugês no Grão-Ducado.
A poucos dias do início das aulas estavam inscritos 1.536 alunos nos cursos integrados de português e 1.245 nos cursos paralelos