Escolha as suas informações

Lusofonia: Manifestações pró e contra Lula da Silva em 23 Estados brasileiros
Mundo 4 24.01.2018

Lusofonia: Manifestações pró e contra Lula da Silva em 23 Estados brasileiros

Lusofonia: Manifestações pró e contra Lula da Silva em 23 Estados brasileiros

AFP
Mundo 4 24.01.2018

Lusofonia: Manifestações pró e contra Lula da Silva em 23 Estados brasileiros

As manifestações pró e contra Lula da Silva estão a decorrer em pelo menos 23 estados brasileiros, no dia em que o ex-Presidente teve a condenação por corrupção confirmada em 2.ª instância, segundo a imprensa brasileira.

As manifestações pró e contra Lula da Silva estão a decorrer em pelo menos 23 estados brasileiros, no dia em que o ex-Presidente teve a condenação por corrupção confirmada em 2.ª instância, segundo a imprensa brasileira.

De acordo com o portal de notícias G1, os atos foram registados em pelo menos 23 Eestados - Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins - e no Distrito Federal.

O Brasil integra 26 Estados e o Distrito Federal.

Uma caminhada em João Pessoa, na Paraíba em apoio de Lula da Silva, resultou em confrontos entre a Polícia Militar e manifestantes.

Quando a manifestação chegou defronte da sede da Justiça Federal em João Pessoa, participantes no ato tentaram forçar o portão para entrar no local, tendo-se registado confrontos com a Polícia Militar, de que resultaram ferimentos em três polícias e três manifestantes, um deles o deputado estadual Frei Anastácio.

Uma pessoa foi detida e conduzida à esquadra da polícia.

Em São Paulo, a manifestação contra Lula da Silva está em curso na avenida Paulista, enquanto os apoiantes do ex-Presidente estão concentrados na praça da República.

Um coletivo de três juízes confirmou hoje, por unanimidade, a condenação do ex-Presidente Lula da Silva, por corrupção e branqueamento de capitais, num julgamento em Porto Alegre, aumentando a pena para 12 anos e um mês de prisão.


Notícias relacionadas