Escolha as suas informações

Londres / Atentado: Sobe para cinco o número de mortos e 40 feridos - polícia
Mundo 23 4 min. 22.03.2017 Do nosso arquivo online

Londres / Atentado: Sobe para cinco o número de mortos e 40 feridos - polícia

Londres / Atentado: Sobe para cinco o número de mortos e 40 feridos - polícia

Foto: Reuters
Mundo 23 4 min. 22.03.2017 Do nosso arquivo online

Londres / Atentado: Sobe para cinco o número de mortos e 40 feridos - polícia

Pelo menos cinco pessoas morreram no atentado de hoje em frente ao parlamento britânico e 40 ficaram feridas, disse o chefe da unidade antiterrorista da polícia de Londres, Mark Rowley. Segundo Mark Rowley, três civis morreram, bem como um polícia e o atacante, que foi abatido pelas forças de segurança.

[Atualizada às 00:59] Pelo menos cinco pessoas morreram no atentado de hoje em frente ao parlamento britânico e 40 ficaram feridas, disse o chefe da unidade antiterrorista da polícia de Londres, Mark Rowley. Segundo Mark Rowley, três civis morreram, bem como um polícia e o atacante, que foi abatido pelas forças de segurança.

Em declarações aos jornalistas, um porta-voz da polícia disse que as autoridades acreditam que apenas um atacante esteve envolvido no atentado.

Num comunicado publicado na sua página eletrónica, a Polícia Metropolitana diz que o incidente continua e apela à população para que se mantenha longe da zona.

Segundo as autoridades, um homem atacou um polícia com uma arma branca no Parlamento e acabou por ser alvejado por agentes.

O incidente no Parlamento levou ao encerramento das duas câmaras do parlamento, quando mais de 200 deputados se encontravam no interior.

O ataque começou quando um carro atropelou várias pessoas na ponte de Westminster, incluindo três polícias.

A Polícia Metropolitana informou, no Twitter, que vai abrir um gabinete de apoio que visa informar aqueles que receiam que os seus familiares e amigos tenham ficado feridos nos ataques.

Reacções ao atentado

São muitas as reacções ao atentado de hoje em Londres.

O Governo britânico emitiu entretanto um comunicado. Segundo o porta-voz de Theresa May, "os pensamentos da primeira-ministra e do governo estão com aqueles que foram mortos e feridos neste incidente terrível e as suas famílias. A Primeira-ministra está a ser informada e irá presidir brevemente a reunião do gabinete de crise (COBRA)".

Donald Tusk, Presidente do Parlamento Europeu, afirmou: "Os meus pensamentos estão com as vítimas do ataque de Westminster. A Europa mantém-se firme com o Reino Unido contra o terror e pronta a ajudar".

A chanceler alemã Angela Merkel, através de um Tweet partilhado pela embaixada alemã em Londres, mostrou-se "profundamente chocada pelos ataques à polícia e civis em Londres. Os meus pensamentos estão com os feridos e a nossa solidariedade é para com o Reino Unido".

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, que tinha uma reunião prevista com a primeira-ministra britânica, Theresa May, expressou suas condolências no Twitter. A reunião foi cancelada.

"Os meus pensamentos estão com as vítimas do ataque terrorista em Londres e as suas famílias. Temos de continuar unidos para lutar contra o terrorismo", escreveu Xavier Bettel, naquela rede social.

Não há portugueses atingidos

O primeiro-ministro, António Costa, expressou hoje solidariedade para com o povo britânico, após o ataque terrorista ocorrido em Londres, referindo que “sinaliza bem as prioridades em que a Europa se tem de concentrar”.

“Em primeiro lugar, queria expressar a todo o povo britânico, ao governo britânico e, em particular, ao parlamento inglês a minha solidariedade e o meu pesar por este atentado terrorista, que sinaliza bem o que devem ser as prioridades em que a Europa se tem de concentrar”, declarou o primeiro-ministro.

António Costa falava aos jornalistas no final de uma visita ao evento Portugal Fashion, que decorre na Cordoaria Nacional, em Lisboa.

Relacionando o atentado com a atualidade europeia, António Costa disse: “Em vez de perdermos tempo abrindo visões inúteis, criando conflitos entre nós, é triste ser necessário eventos destes para nos lembrarmos que temos que nos unir”.

“Só unidos temos capacidade de enfrentar estas ameaças”, sublinhou, recordando que o ataque de hoje ocorre “precisamente um ano após o atentado dramático (…) de Bruxelas e demonstra bem que a ameaça terrorista é uma ameaça global”.

Para o responsável urge, por isso, uma “maior cooperação policial, maior cooperação judicial e maior troca de informações” entre os países europeus, assim como “trabalhar na prevenção dos fatores de radicalização”.

Questionado se existem cidadãos nacionais entre os feridos, António Costa adiantou que, até agora [final do dia], não há “indicação de que haja qualquer português atingido neste ataque”.

Cultura e Desporto unidos na dor

Também o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, expressou o seu pesar pelos acontecimentos na capital inglesa. "Os nossos pensamentos estão com as vítimas do ataque de hoje em Londres e suas famílias. Os canadianos continuam ao lado dos britânicos", referiu o líder canadiano.

Ainda na rede social Twitter, são várias as entidades e personalidades que enviam mensagens de apoio a Londres, na sequência do ataque desta tarde.

A Federação Inglesa de Futebol (FA) lamentou o "incidente horrível" desta quarta-feira e promete homenagem às vítimas. O presidente do organismo, Greg Clarke, lamentou hoje o atentado de hoje junto ao Parlamento britânico, em Londres, e prometeu uma homenagem às vítimas no jogo de domingo com a Lituânia.

As cantoras Pink e Nicki Minaj, a banda Paramore, o Manchester United e a equipa de Fórmula 1 McClaren já publicaram tweets de solidariedade relativos aos acontecimentos de hoje.

Testemunhas oculares relataram que um atacante atropelou hoje peões na ponte de Westminster antes de o seu veículo embater na vedação junto ao edifício do Parlamento britânico.

Depois, o atacante saiu do veículo empunhando uma faca, esfaqueou um polícia e foi alvejado pelas forças policiais.

Segundo as últimas informações divulgadas pela Polícia Metropolitana de Londres, pelo menos quatro vítimas mortais foram confirmadas, incluindo um agente da polícia e o atacante.

Outras 20 pessoas ficaram feridas, incluindo polícias. As autoridades britânicas estão a tratar estes acontecimentos como um “ataque terrorista”.

(DP/HB)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas