Escolha as suas informações

Kellyanne Conway, conselheira de Trump, deixa a Casa Branca
Mundo 24.08.2020 Do nosso arquivo online

Kellyanne Conway, conselheira de Trump, deixa a Casa Branca

Kellyanne Conway, conselheira de Trump, deixa a Casa Branca

AFP
Mundo 24.08.2020 Do nosso arquivo online

Kellyanne Conway, conselheira de Trump, deixa a Casa Branca

Conway deixa o cargo no final do mês de agosto para se dedicar à família.

A assessora Kellyanne Conway anunciou esta segunda-feira que vai deixar a administração de Donald Trump.

"Vou fazer a transição da Casa Branca no final deste mês", revelou a própria num comunicado publicado nas redes sociais.

Conway, gestora de campanha de Trump durante a corrida presidencial de 2016, foi a primeira mulher a conduzir com sucesso uma candidatura à Casa Branca. Mais tarde, tornar-se-ia conselheira do presidente dos EUA. Donald Trump tomou conhecimento da sua decisão na Sala Oval, no domingo.

O anúncio acontece um dia antes do início da conferência do partido republicano dos EUA. No comunicado, Conway agradeceu ao presidente, à primeira-dama e a outros membros do governo. 

"Esta inteiramente decisão minha. No devido tempo, anunciarei os meus planos para o futuro."

Kellyanne é casada com George Conway, advogado conservador e crítico fervoroso Trump e um dos fundadores do 'Projeto Lincoln', que visa evitar que Trump seja reeleito em novembro. "Não estamos unidos em muitos assuntos, mas estamos unidos no mais importante: os filhos", referiu a conselheira.

George também abandona o Projeto Lincoln para se dedicar " a assuntos de família", mas mantém o apoio à causa. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Donald Trump acusa Obama de dificultar transição
O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou hoje o ainda chefe de Estado norte-americano, Barack Obama, de fazer declarações "inflamatórias" e de dificultar o processo de transferência de poder.
US-Präsident Barack Obama und sein Nachfolger Donald Trump bei einem Gespräch nach der Wahl im Weißen Haus.