Escolha as suas informações

Juncker avisa: Brexit vai sair "muito caro" aos britânicos
Jean-Claude Juncker

Juncker avisa: Brexit vai sair "muito caro" aos britânicos

Foto: AFP
Jean-Claude Juncker
Mundo 21.02.2017

Juncker avisa: Brexit vai sair "muito caro" aos britânicos

O presidente da Comissão Europeia, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, disse aos cidadãos britânicos que irão pagar uma fatura "muito cara" pela sua decisão de retirar o Reino Unido da União Europeia.

O presidente da Comissão Europeia, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, disse aos cidadãos britânicos que irão pagar uma fatura "muito cara" pela sua decisão de retirar o Reino Unido da União Europeia.

"Os britânicos devem saber que [o 'Brexit'] não será a custo reduzido ou a custo zero”, afirmou, acrescentando que devem, por isso, “respeitar os compromissos em cuja confeção tenham participado".

"Por isso, a fatura será muito cara", disse.

O antigo primeiro-ministro do Luxemburgo, Juncker afirmou que "será uma negociação difícil" e que levará "anos para se chegar a um acordo sobre as modalidades de saída e sobre a arquitetura futura das relações entre o Reino Unido e a UE".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

A corrida de obstáculos do Brexit
Na semana passada, o Reino Unido e a União Europeia chegaram a acordo sobre os termos do divórcio. Mas nada é dado como certo. Além de Irlanda, Gibraltar e o período de transição estão a dar que falar. São precisas mais negociações.
Zum Themendienst-Bericht von Manuel Meyer vom 22. August 2017: Das Euro-Zeichen wird wohl bleiben, die EU-Mitgliedschaft nicht. Was mit Gibraltars Tourismus nach dem Brexit passiert, ist eine spannende Frage. (Archivbild vom 26.6.2017/Nur zur redaktionellen Verwendung durch Themendienst-Bezieher.) Foto: Manuel Meyer/dpa-tmn
Brexit será pior que ser membro da UE - PM francês e Juncker
O primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, e o presidente da Comissão Europeia, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, advertiram hoje o Reino Unido de que os termos de qualquer acordo de saída da União Europeia (Brexit) não serão melhores que ser Estado-membro.