Escolha as suas informações

Juiz manda libertar Lula
Mundo 2 min. 08.11.2019 Do nosso arquivo online

Juiz manda libertar Lula

Juiz manda libertar Lula

Foto: AFP
Mundo 2 min. 08.11.2019 Do nosso arquivo online

Juiz manda libertar Lula

Até a publicação deste texto, Lula ainda não tinha deixado a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso desde 7 de abril de 2018. Militantes e apoiantes concentram-se perto do edifício da sede da Polícia Federal aguardando a saída da cadeia do ex-presidente.

O juiz Danilo Pereira, da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, mandou hoje libertar o ex-Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, menos de 24 horas após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir anular prisões em segunda instância.

A decisão, publicada às 16h15 desta sexta, ocorre após o resultado do julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) desta quinta -feira que considerou ilegal a permanência na prisão de condenados em segunda instância, sem serem esgotados todos os recursos judiciais, como é o caso do fundador do PT.

Até a publicação deste texto, Lula ainda não tinha deixado a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso desde 7 de abril de 2018. Militantes e apoiantes concentram-se perto do edifício da sede da Polícia Federal aguardando a saída da cadeia do ex-presidente.

O líder histórico do Partido dos Trabalhadores (PT) foi preso após ter sido condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), num processo sobre a posse de um apartamento, que os procuradores alegam ter-lhe sido dado como suborno em troca de vantagens em contratos com a estatal petrolífera Petrobras pela construtora OAS.

Isto apesar de nunca terem conseguido provar que o apartamento pertencia de facto a Lula e na altura dos alegados favorecimentos, Lula já não era Presidente do Brasil. 

Um processo instruído pelo o atual ministro da Justiça de Bolsonaro, Sérgio Moro. Na altura da prisão, o ex-Presidente era o favorito para ganhar as eleições presidenciais. 

O atual Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ainda não se pronunciou a respeito da decisão do Supremo Tribunal Federal, mas reconheceu que sem o contributo de Sergio Moro, dificilmente ele estaria eleito. Em discurso na cerimónia de formatura de curso para Polícia Federal, Bolsonaro elogiou Moro, que estava na iniciativa. O presidente lembrou do episódio de 2017 em que o ex-juiz ignorou o capitão reformado em um aeroporto e disse que isso ocorreu porque Moro não poderia aproximar-se, naquela altura, dele, para não colocar em causa as investigações da Lava Jato que levaram à prisão de Lula.

“Ele estava cumprindo sua missão. Se essa missão dele não fosse bem cumprida, eu também não estaria aqui”, garantiu. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas