Escolha as suas informações

Joe Biden participa em cimeira europeia
Mundo 2 min. 24.03.2021 Do nosso arquivo online

Joe Biden participa em cimeira europeia

Joe Biden participa em cimeira europeia

Foto: AFP
Mundo 2 min. 24.03.2021 Do nosso arquivo online

Joe Biden participa em cimeira europeia

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
O presidente norte-americano irá entrar, amanhã, na videoconferência para discutir parcerias entre os dois blocos geopolíticos.

O presidente norte-americano vai participar na cimeira de líderes europeus que começa amanhã dia 25 e que se estende até sexta-feira. O acontecimento é excecional. Nos últimos anos, apenas Barack Obama participou só uma vez numa cimeira europeia dos chefes de Estado e de governo dos países da União Europeia.

A participação de Joe Biden será através de videoconferência, o formato em que, aliás, todos os líderes se encontrarão. Esta cimeira esteve para ser presencial, com os 27 reunidos em Bruxelas, mas na semana passada, e devido ao aumento de casos de covid-19 na maioria dos países, Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, decidiu-se por um formato mais seguro.

Joe Biden foi convidado a intervir para discutir as relações transatlânticas no momento em que os dois blocos geopolíticos, EUA e União Europeia, reatam laços diplomáticos mais fortes. Há duas semanas, o enviado especial para o clima da administração norte-americana deslocou-se a Bruxelas e participou numa reunião com a Comissão Europeia para discutirem uma estratégia conjunta de luta contra as alterações climáticas.

A hora da entrada de Joe Biden na videoconferência será às 20h45, hora de Bruxelas.

O ponto principal na agenda da cimeira europeia será a situação da covid-19 na Europa, com o surgimento de novas variantes e as campanhas de vacinação que tardam em atingir escala. Os líderes deverão discutir a manutenção das restrições a viagens não essenciais e ao mesmo tempo continuarão a trabalhar na proposta de criação de um certificado verde digital. Um certificado que poderá ajudar a facilitar viagens na época de férias.

Um dos objetivos em cima da mesa é o de trabalhar para criar um tratado internacional de pandemias e reforçar o papel da Organização Mundial de Saúde na sua atuação em caso de novas emergências sanitárias.

Outros pontos em discussão são o mercado único, a transformação digital, a situação no Mediterrâneo oriental, o papel internacional do euro e as relações com a Rússia. Na carta de convite enviada aos líderes europeus, Charles Michel escreveu que irá “partilhar os últimos contactos com o presidente Putin antes de um debate mais estratégico que terá lugar na próxima reunião presencial do Conselho”. As relações entre a União Europeia e a Rússia estão num ponto baixo devido sobretudo ao caso Navalny, o opositor de Putin atualmente preso, e à questão da vacina Sputnik V. Uma ida recente do representante europeu para a política externa, Josep Borrel, considerada humilhante para os interesses europeus gelou ainda mais relações já muito distantes.

A agenda internacional europeia, segundo o presidente do Conselho, deve orientar-se por “defender os nossos interesses, sustentar os nossos valores e contribuir ativamente para dar forma ao futuro global. A nossa unidade é uma pré condição para exercer a nossa influência”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Quatro países bloquearam as chamadas coronabonds no Conselho Europeu. E a criação de um Plano Marshall para evitar a depressão económica foi adiada. António Costa, chamou de “repugnante” as declarações do ministro das Finanças holandês pedindo que Espanha seja investigada por não ser capaz de fazer face ao desafio económico provocado pela pandemia.