Escolha as suas informações

Joe Biden alerta para ataque terrorista eminente em Cabul
Mundo 2 min. 29.08.2021 Do nosso arquivo online
Afeganistão

Joe Biden alerta para ataque terrorista eminente em Cabul

Afeganistão

Joe Biden alerta para ataque terrorista eminente em Cabul

Foto: AFP
Mundo 2 min. 29.08.2021 Do nosso arquivo online
Afeganistão

Joe Biden alerta para ataque terrorista eminente em Cabul

Redação
Redação
O ataque com drone dos EUA que matou dois alvos do Estado islâmico em retaliação pela morte de 13 membros do serviço dos EUA e até 170 civis na quinta-feira não será a última acção do género, avisou o presidente norte-americano.

Joe Biden disse que a situação em Cabul "continua a ser extremamente perigosa, e a ameaça de ataques terroristas no aeroporto continua a ser elevada". "Os nossos comandantes informaram-me de que é altamente provável que ocorra um ataque nas próximas 24 a 36 horas", alertou.  O presidente norte-americano  afirmou que o ataque com drone dos EUA que matou dois alvos do Estado islâmico não será a última acção do género. 

Ao todo 6.800 pessoas foram transportadas do Afeganistão nas últimas 24 horas, levando o total de cidadãos norte-americanos e aliados afegãos evacuados numa dos maiores pontes aéreas da história para mais de 117.000. 

O Pentágono também referiu os membros do serviço norte-americano mortos por um bombista suicida, na quinta-feira. Onze eram fuzileiros norte-americanos, um era um soldado e um marinheiro. 

Antes do fim do prazo de 31 de Agosto para a retirada dos EUA de Cabul, funcionários do Pentágono disseram que os militares tinham começado a retirar-se. A partir de sábado, havia menos de 4.000 tropas norte-americanas no aeroporto de Cabul, contra 5.800 no auge da evacuação, de acordo com a Reuters.

Numa declaração da Casa Branca, onde também referiu a aproximação de um grande furacão na Louisiana, Biden disse ter-se reunido com conselheiros de segurança nacional. 

 "Discutimos o ataque que as forças norte-americanas fizeram [na sexta-feira] à noite contra o grupo terrorista Isis-K no Afeganistão", disse Biden. 

 O Pentágono disse que o ataque com drone matou dois "líderes" do Estado islâmico. "Afirmei que iríamos atrás do grupo responsável pelo ataque às nossas tropas e civis inocentes em Cabul, e fomos", afirmou Joe Biden.


Ataque com 'drone' mata "dois membros importantes" do Estado Islâmico - Pentágono
"Posso confirmar, agora que já recebemos mais informação, que dois alvos importantes do Estado Islâmico foram mortos e um ficou ferido", afirmou o general norte-americano Hank Taylor.

"Este ataque não foi o último. Continuaremos a perseguir qualquer pessoa envolvida nesse hediondo ataque e obrigá-los-emos a pagar". Sempre que alguém procurar prejudicar os Estados Unidos ou atacar as nossas tropas, nós responderemos". 

Os taliban condenaram o ataque como um "ataque claro ao território afegão". Um porta-voz, Zabihullah Mujahid, também disse aos repórteres que os taliban esperavam assumir o controlo total do aeroporto de Cabul assim que as forças norte-americanas partissem. 

No sábado, os combatentes taliban estabeleceram novos postos de controlo nas estradas que conduzem ao aeroporto, alguns tripulados por combatentes uniformizados com Humvees e óculos de visão nocturna capturados das forças de segurança afegãs. 

 O porta-voz também disse que os militantes estavam a preparar-se para formar um governo, e que em breve anunciariam um executivo completo. Foram nomeados oficiais para dirigir as principais instituições, disse o porta-voz, incluindo os ministérios da saúde pública e da educação e o banco central. 

O porta-voz disse também que esperava que a turbulência económica grave fosse atenuada em breve. 

EUA ameçam com novos ataques

John Kirby, o porta-voz do Pentágono, disse aos repórteres que o ataque com drone não seria suficiente para deter os terroristas do Estado islâmico. "Eles perderam alguma capacidade de planear e de conduzir missões". 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O grupo do Estado Islâmico, rival dos Taliban, representa a maior ameaça à retirada após ter levado a cabo um ataque suicida à bomba no aeroporto na semana passada, que ceifou mais de 100 vidas, incluindo 13 tropas norte-americanas.