Escolha as suas informações

Jean-Claude Juncker quer distribuir mais 120 mil refugiados e com caráter obrigatório

Jean-Claude Juncker quer distribuir mais 120 mil refugiados e com caráter obrigatório

Foto: REUTERS
Mundo 09.09.2015

Jean-Claude Juncker quer distribuir mais 120 mil refugiados e com caráter obrigatório

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, propôs hoje, em Estrasburgo, a distribuição pelos estados membros de mais 120 mil refugiados que estão na Itália, Grécia e Hungria, com caráter urgente e obrigatório.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, propôs hoje, em Estrasburgo, a distribuição pelos estados membros de mais 120 mil refugiados que estão na Itália, Grécia e Hungria, com caráter urgente e obrigatório.

"Proponho hoje a recolocação de mais 120 mil pessoas que estão na Itália, Grécia e Hungria e isto tem que ser feito de modo vinculativo", disse Juncker, no discurso do estado da União Europeia (UE).

"São 160 mil pessoas que os europeus devem receber de braços abertos", salientou, lembrando que, em maio, Bruxelas já tinha proposto a distribuição entre os vários estados-membros (recolocação) de 40 mil refugiados.

O líder do executivo comunitário, apelou ainda a que os países de acolhimentos não façam distinção de caráter religioso entre os refugiados que estão prestes a receber e lembrou que a história da Europa está repleta de pessoas que fugiram da perseguição religiosa, política, ou da guerra e que procuram refúgio noutros países.

Segundo a proposta, a que a Lusa teve acesso, prevê-se uma repartição de 15.600 refugiados chegados a Itália, 50.400 à Grécia e 54.000 à Hungria, num total de 120 mil.

De acordo com os métodos de cálculo sugeridos por Bruxelas - que têm em conta a população, o Produto Interno Bruto e o desemprego - Portugal deverá acolher 400 refugiados que chegaram a Itália, 1.291 à Grécia e 1.383 à Hungria, num total de mais 3.074.


Notícias relacionadas

Migrações: Luxemburgo vai receber 440 refugiados
O Luxemburgo vai receber 440 refugiados, segundo a recolocação de mais 120 mil pessoas por todos os estados membros anunciada hoje pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo.