Escolha as suas informações

Jean Asselborn sobre Afeganistão. "Temos de manter a nossa influência com os talibãs"
Mundo 2 min. 16.08.2021 Do nosso arquivo online
Tomada de poder

Jean Asselborn sobre Afeganistão. "Temos de manter a nossa influência com os talibãs"

Tomada de poder

Jean Asselborn sobre Afeganistão. "Temos de manter a nossa influência com os talibãs"

Foto: Anouk Antony
Mundo 2 min. 16.08.2021 Do nosso arquivo online
Tomada de poder

Jean Asselborn sobre Afeganistão. "Temos de manter a nossa influência com os talibãs"

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
O ministro dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo espera agora que a transição aconteça sem "derramamento de sangue".

Os talibãs declararam vitória no Afeganistão depois de tomarem Cabul, a capital, sem encontrar resistência. O destino do país está agora na mão dos insurgentes, perante o olhar preocupado da comunidade internacional. 

Em entrevista à RTL, Jean Asselborn, ministro dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo, falou sobre a situação mas não adiantou uma futura ação concreza por parte da Europa. Esta terça-feira, 17 de agosto, está prevista uma reunião extraordinária de ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 para discutir a situação no país.

Sem querer atribuir culpas aos Estados Unidos, que se retiraram do país após uma presença de 20 anos, Asselbon afirmou que o ato da retirada pode ter sido "prematuro mas só a história o dirá". 


TOPSHOT - A Taliban fighter mans a machinegun on top of a vehicle as they patrol along a street in Kabul on August 16, 2021, after a stunningly swift end to Afghanistan's 20-year war, as thousands of people mobbed the city's airport trying to flee the group's feared hardline brand of Islamist rule. (Photo by Wakil Kohsar / AFP)
Afeganistão. Talibãs declaram vitória e fim da guerra
Talibãs pretendem assumir o poder no Afeganistão "nos próximos dias", através de uma "transição pacífica", disse um porta-voz do movimento islâmico radical à BBC.

Com a transição de poder confirmada, o ministro espera que esta aconteça "sem derramamento de sangue", disse ainda. Após a fuga do Presidente Ashraf Ghani, a tomada de Cabul aconteceu sem incidentes. Asselborn lembrou que as "tropas não estariam preparadas para lutar contra os talibãs" e que deve ter havido infiltrados no Governo para facilitar o processo. 

Olhando para o futuro, é preciso assegurar que "mantemos a nossa influência junto dos talibãs. Devem ser informados de que as regras internacionais não podem ser espezinhadas", considerou.

Na semana passada, Asselborn criticou os países da UE, incluindo a Alemanha,  que querem manter deportações para o Afeganistão, apesar dos atuais acontecimentos. "Não há garantia de que estas pessoas não cairão nas mãos dos talibãs", lembrou. 

O secretário-geral da ONU, António Guterres, revelou preocupação com as mulheres e meninas do Afeganistão, depois da ocupação da capital afegã este domingo, Cabul, e prepararem-se para tomar oficialmente o poder e os destinos do país.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas