Escolha as suas informações

Janeiro sem pinga de álcool. Acha que consegue aderir ao desafio?
Mundo 2 min. 03.01.2019 Do nosso arquivo online

Janeiro sem pinga de álcool. Acha que consegue aderir ao desafio?

Janeiro sem pinga de álcool. Acha que consegue aderir ao desafio?

Foto: Shutterstock
Mundo 2 min. 03.01.2019 Do nosso arquivo online

Janeiro sem pinga de álcool. Acha que consegue aderir ao desafio?

Um mês de sobriedade após os excessos das festividades de Natal e fim de ano. É o desafio lançado por uma associação inglesa e que começa agora a conquistar adeptos em França.

O desafio foi lançado pela associação inglesa "Alcohol Change UK" (traduzido para "álcool muda o Reino Undo") em 2013. O "Dry January" (Janeiro Seco, em inglês) tem como objetivo não consumir nem uma gota de álcool durante o primeiro mês do ano. 

Só no ano passado, quatro milhões de cidadãos da Grã-Bretanha participaram no repto da associação e mais de 100 mil registaram-se no site ou descarregaram a aplicação. O sucesso da campanha poderá ser explicado pelo "carácter pragmático" do desafio, que "não demoniza o consumo de álcool por si só", explica Jean-Michel Delile, presidente da organização francesa "Fédération Adiction" (Federação Adição, em português) à agência noticiosa AFP. 

Da mesma forma, Michel Reynaud, psiquiatra especializado em comportamentos de adição, refere que o caráter divertido e comunitário determinam a boa aceitação do desafio. "É uma forma inteligente de utilizar as redes sociais, com grupos de pessoas a ajudarem-se umas às outras. É mais fácil do que parar sozinho", acrescenta. 

Um estudo feito em 2018 pela Universidade de Sussex, em Inglaterra, concluiu que os efeitos de um mês de abstinência têm impacto no consumo de álcool durante os restantes meses do ano. Nos inquéritos realizados em agosto, onde participaram 800 pessoas, os participantes afirmaram ter bebido álcool três dias por semana em média, quando antes de terem "jejuado" durante janeiro tinham reportado uma média de quatro dias por semana. No mesmo sentido, o número de doses de álcool consumido também diminuiu.

88% dos participantes afirmaram ainda ter poupado dinheiro e 71% notaram melhorias na qualidade do sono. A maioria relatou também mais energia, perda de peso e melhorias de pele. "Não beber álcool durante 31 dias mostra-nos que não precisamos do álcool para entreter, relaxar ou ser sociável", diz Richard Piper, diretor da "Alcohol Change UK". Ao mesmo tempo, é uma forma de sensibilizar para os riscos de saúde a longo prazo associados ao consumo de álcool, como o cancro ou doenças do fígado. 

França: 50 mil mortes por ano devido ao álcool

Só em França, o abuso de álcool está na origem de 50 mil mortes anuais. Apesar de o seu consumo ser menos concentrado do que no Reino Unido ao fim de semana, Jean-Michel Delile admite que a campanha poderia ser adpatada à realidade francesa, por exemplo, abstinência durante uma semana, ou um ou dois dias por semana. O presidente da "Fédération Adiction" critica a falta de iniciativa do governo francês que tem adiado sucessivamente a publicação de um novo plano de saúde para o combate aos vícios e adições. E acredita que uma campanha semelhante à do Reino Unido mais depressa partirá da sociedade civil do que do executivo francês.

Contacto com AFP

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.