Escolha as suas informações

Italianos Tajani e Pittella discutem presidência do PE na quarta e última volta
Mundo 17.01.2017 Do nosso arquivo online
Em Estrasburgo

Italianos Tajani e Pittella discutem presidência do PE na quarta e última volta

Os italianos Gianni Pittella, dos Socialistas Europeus (S&D), e Antonio Tajani, do Partido Popular Europeu (PPE).
Em Estrasburgo

Italianos Tajani e Pittella discutem presidência do PE na quarta e última volta

Os italianos Gianni Pittella, dos Socialistas Europeus (S&D), e Antonio Tajani, do Partido Popular Europeu (PPE).
Mundo 17.01.2017 Do nosso arquivo online
Em Estrasburgo

Italianos Tajani e Pittella discutem presidência do PE na quarta e última volta

Os italianos Antonio Tajani, do Partido Popular Europeu (PPE), e Gianni Pittella, dos Socialistas Europeus (S&D), vão disputar hoje a presidência do Parlamento Europeu numa quarta e derradeira volta da eleição, após a terceira também ter sido inconclusiva.

Os italianos Antonio Tajani, do Partido Popular Europeu (PPE), e Gianni Pittella, dos Socialistas Europeus (S&D), vão disputar hoje a presidência do Parlamento Europeu numa quarta e derradeira volta da eleição, após a terceira também ter sido inconclusiva.

Como sucedera nas duas primeiras voltas da eleição que decorre desde hoje de manhã em Estrasburgo, Tajani foi o mais votado nesta terceira votação, mas sem alcançar a necessária maioria absoluta, tendo obtido 291 votos, contra 199 de Pittella, entre 690 votos válidos (eram necessários portanto 346 votos para obter a maioria absoluta).

Deste modo, e de acordo com os regulamentos da assembleia europeia, terá lugar, ainda hoje, às 21:00 locais (a mesma hora no Luxemburgo), uma quarta e última volta, agora apenas com os dois candidatos mais votados na terceira volta, Tajani e Pittella, bastando uma maioria simples para ser encontrado o sucessor do socialista alemão Martin Schulz na presidência do Parlamento Europeu.

Nesta terceira volta, à qual se apresentaram os mesmos seis candidatos que participaram nas duas anteriores, a terceira mais votada foi a belga Helga Stevens (Conservadores e Reformistas Europeus), com 58 votos, seguida da italiana Eleonora Forenza, membro da comissão executiva da Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde (GUE/NGL), com 45, do romeno Laureniu Rebega (Europa das Nações e da Liberdade), com 44, e da britânica Jean Lambert (Verdes/Aliança Livre Europeia), com 35.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A ainda ministra da Defesa alemã necessita de obter uma maioria absoluta na votação agendada para a próxima terça-feira - metade dos eurodeputados mais um (376) – para ser presidente da Comissão Europeia, mas após a ronda de consultas com as famílias políticas a sua nomeação não é dada como certa.
Os brasileiros do Grão-Ducado deram 42,9% dos votos ao candidato da extrema-direita brasileira. Fernando Haddad, do PT, que vai disputar a segunda volta no dia 28 de outubro, apenas teve 9,3% dos votos dos eleitores brasileiros que votaram no Luxemburgo.